Copa América: Paes não descarta mudar decreto e proibir jogos no Rio se situação se agravar

·1 minuto de leitura

Principal sede da Copa América, o Rio receberá oito partidas do torneio: serão cinco jogos na primeira fase, sendo dois da seleção brasileira, um jogo de quartas de final, um de semifinal, todos no estádio Nilton Santos, e a final no Maracanã. Apesar disso, a Conmebol e a CBF ainda não procuraram a Prefeitura do Rio de Janeiro oficialmente.

Segundo o prefeito Eduardo Paes disse em entrevista coletiva nesta sexta-feira pela manhã, os organizadores devem ter se baseado no decreto da Prefeitura que permite jogos sem público até o dia 14 de junho, um dia após a estreia da competição, para marcarem as partidas. No entanto, ele não descartou rever a posição da prefeitura caso haja um agravamento de casos de Covid-19 na cidade.

— O decreto vale até 14 de junho. Se até lá a situação se agravar e o decreto mudar, vai mudar e acabou.

Paes também afirmou que considera "meio inoportudo um grande campeonato desses" e fez um apelo aos organizadores "está na hora de procurar as autoridades sanitárias".

— Não deve ser difícil ter um mínimo de diálogo e colocar tudo no papel — disse o prefeito.

A primeira partida no Rio será Argentina x Chile, no dia 14, justamente a segunda-feira que marca o fim do atual decreto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos