Copa América: relembre as outras finais entre Brasil e Argentina no torneio

·3 minuto de leitura

Rivais históricos, Brasil e Argentina irão se enfrentar para decidir quem leva o título da 47ª edição da Copa América. Ambos países têm os respectivos craques de nível mundial: do lado de lá, Lionel Messi; de cá, Neymar. O reencontro de dois amigos que já jogaram lado a lado no Barcelona reflete um escopo ainda maior de duas seleções que, historicamente, compartilham uma fome por títulos.

Com nove na prateleira, Brasil é o terceiro país com mais vitórias na Copa América; a Argentina, por sua vez, ocupa o segundo espaço no ranking, com 14 títulos no torneio. Ambos atrás do Uruguai, que já venceu 15 vezes.

Esta será a terceira vez que os dois se encontram na final. Abaixo, relembre as ocasiões anteriores.

1937

Na época, o torneio ainda não atendia por Copa América, era Campeonato Sul-americano de Seleções - a alcunha atual passou a ser válida a partir do retorno da competição, em 1975, depois de um intervalo de oito anos sem ocorrer. Nessa edição realizada há 74 anos, a seleção brasileira passou por episódios de violência, já que a 14ª edição do torneio foi sediada pela Argentina.

Neste ano, pela primeira vez, a troca de jogadores entre partidas e jogos no turno da noite foram autorizados. À época, ainda não tinha um lugar destinado aos reservas, por isso, os jogadores do “banco” tinham que ficar deitados no chão até serem chamados; caso não fossem, permaneciam assim até o final da partida.

O resultado foi favorável aos anfitriões, que, com 2 a 0 feitos na prorrogação, conquistaram o quinto título no torneio, enquanto o Brasil ficou pela terceira vez como vice.

2004

Um desses jogos que reforçam o lembrete de como o futebol é um espaço dedicado ao impossível. Naquele 25 de julho, no Estádio Nacional, em Lima, no Peru, a taça já era dada como certa para os argentinos que, aos 48 minutos do segundo tempo, tinham 2 a 1 no placar. Até que um Imperador – na época, com 22 anos – relembrou o porquê do apelido e marcou um gol. Graças a Adriano, a decisão é levada aos pênaltis.

Mesmo assim, o cenário ainda parecia ser favorável aos hermanos, já que a seleção brasileira, então treinada por Carlos Alberto Parreira, não tinha no elenco nomes como Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo Fenômeno. Já os rivais tinham todos os astros, como o goleiro Abbondanzieri, Zanetti, Tevez entre outros.

Júlio César não deixou passar a cobrança de D’Alessandro; Adriano, Edu Gaspar, Diego Ribas e Juan converteram todas as tentativas. Brasil vence por 4 a 2, e leva o sétimo título do torneio.

2007

Última vez que os países se encontraram, há 14 anos. Mais uma vez, em solo neutro, na Venezuela. Após eliminar o Uruguai por pênaltis na semifinal, a seleção brasileira foi ao encontro de uma Argentina até então invicta. Quem abriu o placar foi Júlio Baptista, até que Ayala fez um gol contra e favoreceu o Brasil.

Quem fechou a partida foi Daniel Alves, que, ao golear a rede, fechou o jogo em 3 a 0 e garantiu ao Brasil o oitavo título no torneio.

O próximo vencedor desse duelo será decidido neste sábado, 10, às 21h, em um Maracanã vazio, no Rio de Janeiro, na final da Copa América 2021.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos