Copa do Catar: OMS e FIFA lançam aplicativo com inteligência artificial para incentivar atividade física de crianças e adolescentes

Na véspera da Copa do Mundo, que começa amanhã, a Organização Mundial da Saúde (OMS), a FIFA e o Ministério de Saúde Pública do Catar, país-sede do campeonato, lançam um aplicativo inédito para aproveitar o embalo de um dos maiores eventos esportivos do planeta e combater o sedentarismo entre crianças e adolescentes.

Retorno das máscaras? Médicos e secretarias da Saúde voltam a recomendar a proteção; veja em quais cenários e por quem

Isabel Salgado: Saiba o que é a SARA, síndrome que provocou a morte da atleta

Chamada de GenMove Season 1, a plataforma digital já está disponível para ser baixada nas lojas de aplicativos dos sistemas operacionais Android e IOS, da Apple. A novidade oferece de forma gratuita mais de 50 opções de jogos que exigem diferentes habilidades físicas.

Para isso, combina tecnologia avançada de rastreamento de movimento com técnicas de inteligência artificial. Assim, a câmera consegue captar a imagem do jovem e o sistema projeta na tela atividades que demandam ações físicas para serem cumpridas.

Doença de Bolsonaro: Entenda o que é a erisipela, diagnóstico que mantém Bolsonaro longe de aparições públicas

Os responsáveis explicam que os jogos foram inspirados em diversos esportes, como o futebol, e envolvem ações como pular, chutar, se esticar, para estimular a movimentação da criança e do adolescente de uma forma divertida. Para acessá-los, basta um dispositivo móvel com o aplicativo e um espaço pequeno em casa para realizar as brincadeiras.

O goleiro da seleção brasileira de futebol, Alisson Becker, embaixador da Boa Vontade da OMS para a Promoção da Saúde, experimentou o aplicativo e destaca que a plataforma é uma boa opção de entretenimento para toda a família.

“Eu amo o GenMove. A tecnologia abre o mundo para todos, mas às vezes pode fazer você ficar sentado por muito tempo. Então, a plataforma GenMove te ajuda nisso. Ao mesmo tempo, você pode se divertir com seus filhos, ou sozinhos, e fazer algo saudável”, diz Alisson, em comunicado.

Alta da Covid-19: Por quanto tempo preciso ficar isolado se estiver infectado?

A plataforma conta ainda com avatares controlados pelos movimentos dos usuários, que podem ser personalizados e ajudam a tornar a experiência mais atrativa para o jovem. Os esforços buscam reverter uma realidade em que mais de 80% dos indivíduos entre 8 e 15 anos não alcançam as recomendações de exercícios da OMS.

A organização orienta uma média de 60 minutos de atividade física aeróbica moderada por dia, incluindo exercícios que fortaleçam os músculos e os ossos ao menos três vezes por semana. Além de a grande maioria não cumprir essas metas, a OMS destaca que as crianças e adolescentes podem passar mais de oito horas por dia em estado sedentário, comportamento associado à piora da saúde, ganho de peso e má qualidade do sono.

“A atividade física regular traz grandes benefícios ao longo da vida para a saúde física e mental e é essencial para o desenvolvimento saudável das crianças. A OMS tem o orgulho de lançar hoje o aplicativo GenMove Season1 com o Qatar. Esse tipo de inovação digital pode ser uma ferramenta poderosa para alcançar os jovens e motivá-los, especialmente crianças que podem não praticar esportes regularmente”, afirma o diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em comunicado.

Guru da cloroquina: Didier Raoult alterou dados de pelo menos quatro pacientes e distorceu estudo, diz TV francesa

Formalmente, o aplicativo será lançado hoje pela ministra de Saúde Pública do Catar, Hanan Mohamed Al Kuwari, como parte de um evento da OMS chamado "Walk the Talk - Health for All", realizado pela primeira vez no país , que envolve caminhadas de 3 a 5 quilômetros para promover os benefícios da atividade física.

“O Qatar tem o orgulho de lançar esta importante inovação para as crianças na véspera da Copa do Mundo. Estamos empenhados em fazer o máximo possível para aumentar a atividade física e melhorar a saúde dos jovens aqui no Catar e em todo o mundo. A pandemia da Covid-19 teve um impacto tão forte nos jovens, limitando a educação física e os esportes escolares, por isso é vital investirmos na promoção da atividade física e alavancar as tecnologias digitais para fornecer maneiras novas e divertidas de ser ativo”, diz a ministra.

Diagnóstico de Lula: Entenda o que é a leucoplasia identificada na laringe do presidente eleito

Além dos impactos negativos imediatos na saúde dos jovens, a chefe da Unidade de Atividade Física da OMS, Fiona Bull, ressalta o impacto a longo prazo no sedentarismo para os sistemas de saúde, uma vez que uma grande parte de doenças como as cardiovasculares e a diabetes podem ser evitadas por uma rotina de exercícios físicos.

“O custo da inatividade física para os sistemas de saúde pública é muito alto. Portanto, fazer com que as crianças gostem de ser ativas e criar hábitos diários é fundamental para prevenir futuras doenças não transmissíveis, como doenças cardíacas, sobrepeso e obesidade, hipertensão, diabetes e muitos tipos de câncer”, afirma a especialista.

Por enquanto, o aplicativo está disponível apenas em inglês, árabe, chinês, francês, russo e espanhol, embora possa ser acessado no Brasil. A iniciativa faz parte da “Copa do Mundo Saudável de 2022 - Criando um Legado para o Esporte e a Iniciativa de Saúde”, uma parceria entre a OMS, a FIFA e o Catar para desenvolver estratégias de bem-estar durante o evento. O jogo foi desenvolvido pela empresa de esportes digitais, G13R, focada em inteligência artificial com sede em Londres, no Reino Unido.