Copa do Catar: Por que Fred, um dos jogadores mais regulares da seleção, deve ser reserva contra a Sérvia

A posição mais afetada pelas nove sessões de treino que Tite comandará até a estreia do Brasil na Copa do Mundo será a do meio-campo que jogará ao lado de Casemiro. É a mais importante em termos táticos ao menos neste início de Mundial. E uma com as disputas mais acirradas.

Tabela da Copa: Datas, horários e grupos do Mundial do Catar

Fred deve começar contra a Sérvia, no Lusail, quinta-feira, no banco de reservas. Um dos jogadores mais regulares de todo ciclo para a Copa do Mundo, se juntou à seleção em Turim pressionado. A concorrência pesada se confirmou. Lucas Paquetá e até mesmo Bruno Guimarães cresceram ao longo das atividades. Nos últimos treinos no Gran Hamad, centro de treinamento da seleção em Doha, Paquetá foi titular no meio.

A firmação de Vini Jr no lado esquerdo do ataque ajudou a embaralhar as peças na posição. A titularidade do jogador do Real Madrid obrigou Tite a considerar ainda mais Paquetá como um meia mais recuado.

Simulador: você decide quem será campeão da Copa do Catar

Você escala: quais os seus 11 titulares do Brasil na Copa do Mundo

Corre por fora Bruno Guimarães. Ele também é uma sombra a Fred. O jogador do Newcastle se apresentou a Tite com 1.029 minutos jogados na Premier League, três gols e duas assistências. Já Fred vive oscilações no Manchester United, com 639 minutos em campo e apenas um gol marcado. A boa fase confirmou nos treinos.

Posição-chave

A sustentação do esquema ofensivo que Tite ensaia na seleção desde o começo do ano depende da capacidade desse jogador que atuará ao lado de Casemiro de ir à área com qualidade e recompor bem quando a equipe está sem a bola. O entrosamento entre Neymar e Paquetá pesa demais a favor do jogador do West Ham quando o técnico precisa descobrir o que fazer no meio quando Vini Jr. se sustenta entre os titulares.

Guia interativo da Copa: saiba tudo sobre os 831 jogadores que disputam o Mundial do Catar

Além disso, Neymar, como meia, ganhou mais liberdade para se movimentar por todas as partes do campo. Sem responsabilidade de marcação quase nenhuma, o camisa 10 obriga esse jogador que atuará no meio tanto a marcar sob pressão os defensores rivais quando eles estiverem com a bola - é uma orientação do Tite a tentativa de recuperar a posse já no campo defensivo adversário -, quanto entender taticamente os deslocamentos do craque do Paris Saint-Germain.

- Temos muitas opções, taticamente falando. Opções de qualidade. Um jogador que entra pode trazer algo totalmente diferente. Mas todas as vezes que testamos e jogamos de maneiras diferentes, respondemos bem. Por mais que tenha essa dúvida, te traz um conforto por conta dos resultados da preparação. É a dúvida boa - frisou o zagueiro Marquinhos.