Copa do Mundo: conheça Kibito, o correspondente do EXTRA no Catar

Catarinas e catarinos, morri, mas passo bem! “Vai lá no Catar contar umas mentiras pra gente?”. Vim. Saí do Largo do Machado, vesti a amarelinha, subi no primeiro para-brisa de caminhão que passou e parti. Não foi difícil me entocar num contêiner de produtos claramente legalizados e originais, de alta qualidade e acessíveis (preços inbox!). Peguei no sono esperando mil e uma noites e... BUM!!! Acordei na quentura da chapa e dei uma golfada pérsica. Quediabéisso? Será batida da (rua da) alfândega? Ufa, apenas tínhamos quase derrubado a Ponte Rio-Niterói...

Cheguei, enfim, em terras cataris, satisfação 100% e la garantia soy yo. A tempo de pegar a abertura, zoar a Doha toda e tentar sorver o latão dos justos antes de pular a catraca do Mohamedzão. Rá! Pra ser choque cultural, no mínimo, teria que chamar o Rogerinho do Ingá pra jogar o camelo no acostamento. 70 ALADINS! Eu ia ficar Al Thani, fiquei Al Sobri. Começou!