Copa do Mundo: Maluma abandona entrevista após pergunta sobre direitos humanos no Qatar

A Copa do Mundo do Qatar começa neste domingo (20) e o colombiano Maluma é um dos artistas confirmados para se apresentar na cerimônia de abertura do campeonato, depois de nomes como Dua Lipa e Shakira terem se recusado a participar do evento em um boicote às violações dos direitos humanos no país. Quando questionado sobre o tema por um repórter da TV estatal de Israel, Kan, na última sexta-feira (18), o cantor abandonou a entrevista.

"Você não tem problemas com as violações aos direitos humanos nesse país?", questionou o jornalista. Incomodado, o artista disse que sim, mas que é algo que não pode resolver. "Eu só vim pra cá pra aproveitar a vida, o futebol, a festa do futebol. Isso não é, na verdade, algo que eu preciso estar envolvido", respondeu.

Festas, shows, bares e mais: confira onde assistir aos jogos da Copa do Mundo no Rio

De sapiosexual a arromântico: entenda orientações sexuais motivadas por comportamentos

Flip: evento começa quarta-feira com nomes ilustres como a vencedora do Nobel Annie Ernaux

Depois que o jornalista insistiu no assunto, Maluma se mostrou irritado, e perguntou para alguém nos bastidores se precisava responder à pergunta. Em seguida, o artista se levantou e deixou a entrevista, chamando o repórter de "rude".

Maluma é um dos intérpretes da música oficial do FIFA Fan Festival, "Tukoh Taka", ao lado de Nicki Minaj e da cantora libanesa Myriam Fares. Outros artistas definidos para se apresentar durante a competição incluem Sean Paul, J Balvin, Jungkook (do BTS) e Black Eyed Peas.

A abertura da Copa do Mundo do Catar acontece no estádio Al Bayt, a 40km de Doha, antes da partida entre Catar e Equador.

Entenda as polêmicas

No Catar, a homossexulidade é crime e a pena pode ser a morte. Inclusive, o embaixador da Copa do Mundo deste ano, Khalid Salman, já se referiu ao tema como "dano mental". Diante de questionamentos, a Fifa reforçou que bandeiras com as cores do arco-íris (símbolo do movimento LGBTQIAP+) serão permitidas e, inclusive, bem-vindas nos estádios da Copa do Mundo.

As obras da Copa também tem sido alvo denúncias de trabalho análogo à escravidão. Em fevereiro de 2021, o jornal britânico The Guardian informou que 6,5 mil trabalhadores da Índia, Paquistão, Nepal, Bangladesh e Sri Lanka haviam morrido no Catar desde que o país conquistou o direito de sediar a competição.

Veja quem se negou a cantar na Copa

Rod Stewart: o cantor inglês disse ao jornal "Sunday Times" que recusou propostas para tocar na abertura por causa de posições políticas. "Na verdade, me ofereceram muito dinheiro, mais de US$ 1 milhão, para tocar lá há 15 meses. Eu recusei. (...) Não é certo. E os iranianos também deveriam estar fora (do Mundial) por fornecer armas", acrescentou o artista, fazendo referência ao fornecimento de drones explosivos do Irã à Rússia, que foi suspensa de todas as competições da Fifa e da Uefa em fevereiro, após a invasão da Ucrânia.

Dua Lipa: A cantora inglesa deu um jeito de acabar com os boatos de que ela estaria no Mundial. Fez um stories no Instagram dizendo que nunca houve tratativa para se apresentar na abertura e disse que pretende visitar o Catar quando o país cumprir com políticas de direitos humanos.