Copa do Mundo: Senegal consegue primeira vitória africana no Catar e praticamente elimina os anfitriões

Apesar de ter passado algum susto no segundo tempo, depois que o Catar fez seu primeiro gol em uma Copa do Mundo, a seleção senegalesa obteve uma vitória importante, por 3 a 1, no Estádio Al Thumama, nesta sexta-feira. Para os cataris, praticamente eliminados, o prêmio de consolação foi o gol do atacante Mohammed Muntari, nascido em Gana e naturalizado para defender o Catar.

O resultado, que foi também a primeira vitória de uma seleção africana nesta Copa, deixa Senegal vivo no Grupo A, com os mesmos 3 pontos de Equador e Holanda - que jogam logo mais, às 13h (horário de Brasília) -, mas em desvantagem no saldo de gols.

Senegal abriu o placar no primeiro tempo, com o atacante Boulaye Dia, aproveitando uma falha do zagueiro Khoukhi, que errou uma rebatida e deixou a bola viva na área aos 41 minutos. Depois do intervalo, o atacante Diédhiou ampliou - vale lembrar que os senegaleses estão sem seu principal nome ofensivo, o craque Sadio Mané, do Bayern de Munique, que foi cortado da Copa por lesão.

Muntari deixou apreensivos os torcedores de Senegal, que faziam festa no Estádio Al Thumama, ao diminuir o placar aos 32 minutos. O Catar ainda ensaiou uma pressão, mas durou pouco: Bamba Dieng fez o terceiro, aos 39 minutos, e deu números finais à partida.

A depender do placar entre equatorianos e holandeses, Senegal pode terminar esta segunda rodada na vice-liderança do grupo. De todo modo, dependerá apenas de si mesmo na última rodada, contra o Equador, para se classificar.

Já a seleção do Catar praticamente se despede da Copa com sua segunda derrota em dois jogos - já havia perdido na estreia, para o Equador, por 2 a 0. Para ainda terem alguma chance, os anfitriões deste Mundial precisam que o Equador vença a Holanda, nesta sexta, para tentar um milagre na última rodada.

Caso isso ocorra, a seleção catar precisaria também vencer os holandeses, tirando a diferença no saldo de gols (que hoje é de seis gols entre as duas seleções), e ainda torcer para o Equador vencer Senegal.