Copo de café e quarto de hotel: entenda como a PF descobriu que Zé Trovão estava no México

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - Um copo de café e um quadro na parede foram detalhes suficientes para que investigadores da Polícia Federal identificassem que o líder bolsonarista Marcos Antônio Pereira Gomes, o Zé Trovão, estava foragido na Cidade do México desde a semana passada, quando o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes ordenou a sua prisão por articular e incentivar atos antidemocráticos no 7 de setembro.

Mesmo foragido, Zé Trovão continuou divulgando diariamente diversos vídeos para sua rede de contatos, nos quais incitava uma paralisação nacional de caminhoneiros a partir do 7 de setembro com o objetivo de pressionar o Senado a dar prosseguimento ao impeachment de ministros do STF.

Foram nesses vídeos que o bolsonarista deu as pistas necessárias para que os investigadores chegassem ao seu encalço.

Na matéria completa, exclusiva para assinantes, entenda em detalhes como a PF detectou que Zé Trovão deixou o Brasil no dia 27 de agosto, antes da ordem de prisão de Moraes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos