Coquetel que marcou abertura da Flip 2022 teve tom de reencontro e celebração pelos 20 anos do evento

O tradicional coquetel na Pousada Literária abriu oficialmente os trabalhos da 20ª Festa Literária Internacional de Paraty, na tarde desta quarta-feira (23). O tom ali era de reencontro, após duas edições virtuais do evento.

— A importância da troca de conhecimento ao vivo e a cores é especial e agregadora. — destacou a Secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio, Danielle Barros. — A Flip é um exemplo, uma inspiração para ações de democratização da cultura.

O diretor artístico do evento, Mauro Munhoz, celebrou as duas décadas que a Flip está completando.

— Esses 20 anos são significativos pelo esforço de seguir com os mesmos propósitos e pela ideia de fazer as manifestações culturais serem o motor dessa transformação que acontece na cidade e se alastra por outros festivais — disse. — A gente não aprende a ler só para ler palavras, mas para ler o mundo. O espaço de trocas das mesas também nos possibilita ler o outro, e ao fazer isso, lemos a gente também.

Idealizadora e presidente da Flip, a inglesa Lis Calder, por sua vez, exaltou a cidade:

— Paraty é a a casa do meu coração, o sonho onde quero estar — afirmou.