Coréia do Sul avalia adotar quarentena mais restritiva

Hyonhee Shin
·2 minuto de leitura
Sul-coreanos esperam em fila para teste de coronavírus em Seul

Por Hyonhee Shin

SEUL (Reuters) - A Coréia do Sul planeja discutir se precisa apertar ainda mais as regras de distanciamento social neste fim de semana, já que as restrições atuais não conseguiram reverter o ressurgimento de casos, com a contagem diária de coronavírus atingindo outra alta na sexta-feira, disseram autoridades.

A Agência de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia (KDCA) relatou 1.241 novos casos de coronavírus na meia-noite de quinta-feira, a maior contagem diária registrada.

Os números diários têm pairado em níveis recordes nas últimas semanas, em torno de 1.000, mas o governo resistiu aos apelos para imposição do Nível 3 de quarentena, pelo menos para a grande área de Seul, devido a preocupações econômicas, chamando-o de último recurso.

As restrições de nível 3 significam essencialmente um bloqueio da quarta maior economia da Ásia, fechando mais 1,2 milhão de empresas e permitindo apenas os trabalhadores essenciais nos escritórios.

As autoridades de saúde culparam uma epidemia em uma prisão de Seul pela nova contagem diária, mas disseram que se reunirão no domingo para decidir se o distanciamento precisa ser ampliado para o Nível 3.

"A média semanal excedeu 1.000, mas ainda vemos que é mais provável que seja um fenômeno temporário", disse Yoon Tae-ho, um importante funcionário do Ministério da Saúde, e jornalistas.

"Mas como isso afetará nossa decisão sobre o Nível 3... faremos uma reunião no domingo e divulgaremos o resultado."

As ruas ao redor das principais catedrais e igrejas, que de outra forma estariam cheias de carros e fiéis, estavam vazias, mostraram imagens da televisão local.

Algumas novas restrições foram tomadas nesta semana, incluindo a proibição de encontros de mais de quatro pessoas e a suspensão de atividades em estações de esqui e pontos turísticos, com o objetivo de impedir de tentar barrar a propagação durante os feriados de Natal e Ano Novo.