Coreógrafa Trisha Brown morre aos 80 anos

Austin (EUA), 20 mar (EFE).- A coreógrafa americana Trisha Brown, pioneira e ícone da dança pós-moderna, morreu neste fim de semana aos 80 anos em San Antonio, no estado do Texas, após uma longa doença, informou nesta segunda-feira sua companhia de dança.

"É com grande tristeza que compartilhamos a notícia de que a artista Trisha Brown morreu no dia 18 de março em San Antonio após uma longa doença", confirmou a Trisha Brown Dance Company em comunicado.

Nascida em 1936 em Aberdeen (Washington), Brown se formou em 1958 no Departamento de Dança do Mills College, na Califórnia, e foi para Nova York três anos depois em busca de novos desafios.

Posteriormente, se tornou membro fundador do Judson Dance Theatre, um influente coletivo de artistas que surgiu na década de 1960 em Nova York.

Com a fundação da Trisha Brown Dance Company em 1970, Brown começou o próprio caminho de pesquisa artística e de experimentação "incessante", que se prolongou durante 40 anos, destacou a companhia.

Criadora de mais de cem coreografias de balés e de seis óperas no mundo todo, Trisha Brown se aposentou como dançarina em 2008, mas continuou a compor coreografias de seus últimos trabalhos durante outros três anos.

Ao longo da carreira, Brown trabalhou com ícones do balé, como Mikhail Baryshnikov, com a compositora Laurie Anderson e os também coreógrafos Elisabeth Streb e Stephen Petronio. No final de 2012, anunciou que os dois balés que tinha apresentado no ano anterior seriam os últimos da carreira.

Assim, Brown se aposentou formalmente após liderar durante décadas o cenário internacional, trabalhando principalmente em Nova York, mas também realizando as coreografias para o Balé da Ópera de Paris, entre outros.

A companhia de dança homenageou a criadora em seu site e a qualificou como "uma das coreógrafas e dançarinas mais influentes e talentosas de sua época" cuja "obra revolucionária mudou para sempre a paisagem da arte". EFE