China muda seu negociador para Coreia em momento mais agudo da crise

Pequim, 13 ago (EFE).- A China decidiu retirar seu veterano negociador para a peninsula da Coreia, Wu Dawei, após 13 anos no cargo, e substituí-lo pelo diplomata Kong Xuanyou, justamente quando a região vive uma grave crise por causa das ameaças mútuas de bombardeios entre Estados Unidos e Coreia do Norte.

Segundo o jornal "South China Morning Post", o Ministério de Assuntos Exteriores não anunciou ainda formalmente esta nomeação, mas a mudança é iminente, segundo afirmaram diplomatas chineses e fontes citadas pela imprensa de Japão e Coreia do Sul.

Wu Dawei, de 71 anos, liderou o diálogo sem sucesso de seis lados (China, as duas Coreias, EUA, Japão e Rússia) que Pequim acolheu entre 2003 e 2008 para tentar deter o programa nuclear norte-coreano, e desde então insistiu na necessidade de voltar à mesa de negociações.

Kong, de 58 anos, terá por principal missão retomar esse diálogo, algo que neste momento de alta tensão parece quase impossível.

Nascido no nordeste chinês e de etnia coreana, Kong é desde 2015 ministro assistente de Assuntos Exteriores e principal encarregado de assuntos asiáticos na instituição.

O diplomata fala perfeitamente japonês e trabalhou na Embaixada da China em Tóquio em várias períodos, ainda que também tenha sido embaixador do seu país no Vietnã, segundo a biografia dele no site oficial da Chancelaria. EFE