Coreia do Norte dispara míssil balístico e preocupa sul-coreanos

Bandeira da Coreia do Norte vista de perto da zona desmilitarizada entre as duas Coreias

Por Soo-hyang Choi e Hyonhee Shin

SEUL (Reuters) - A Coreia do Norte disparou um míssil balístico em direção ao mar de sua costa leste nesta quarta-feira, disseram Coreia do Sul e Japão, cerca de uma semana depois que Pyongyang prometeu desenvolver suas forças nucleares "na velocidade mais rápida possível".

O 14º teste de armas conhecido da Coreia do Norte este ano ocorre dias antes de o novo presidente sul-coreano, Yoon Suk-yeol, tomar posse, em 10 de maio. O último teste norte-coreano, em 16 de abril, tinha envolvido uma nova arma guiada tática destinada a aumentar sua capacidade nuclear.

O Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul (JCS) disse ter detectado o lançamento por volta do meio-dia na área de Sunan, na capital da Coreia do Norte, Pyongyang, que abriga um aeroporto internacional e a área de onde o país disse ter disparado seu maior míssil balístico intercontinental (ICBM), o Hwasong-17, em 24 de março.

O míssil voou cerca de 470 km a uma altitude máxima de 780 km, segundo o JCS.

"Uma série recente de lançamentos de mísseis balísticos da Coreia do Norte representa uma grave ameaça à paz e à estabilidade não apenas da península coreana, mas também da comunidade internacional", disse o JCS em comunicado, pedindo à Coreia do Norte que pare imediatamente com essas ações.

Os gabinetes do atual e futuro presidente sul-coreano condenaram fortemente o lançamento, com a equipe de Yoon prometendo responder estritamente a tais ações e elaborar "medidas dissuasivas mais substanciais".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos