Coreia do Norte diz que governo Biden deu primeiro passo errado após último teste de mísseis

Hyonhee Shin
·1 minuto de leitura

Por Hyonhee Shin

SEUL (Reuters) - A Coreia do Norte afirmou neste sábado que o governo do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, deu um primeiro passo errado e revelou uma "hostilidade arraigada" ao criticar o seu teste de mísseis em legítima defesa.

A Coreia do Norte afirmou na sexta-feira que havia lançado um novo tipo de míssil tático de curto alcance. Biden disse que o teste violava resoluções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), mas permaneceu aberto à diplomacia com Pyongyang.

Ri Pyong Chol, secretário do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores que governa a Coreia do Norte, afirmou que o teste era em legítima defesa contra ameaças da Coreia do Sul e dos Estados Unidos, após exercícios militares conjuntos e armas avançadas.

"Expressamos nossa profunda apreensão pelo chefe do Executivo dos EUA ter considerado um teste normal, um exercício do nosso direito a se defender, como uma violação de 'resoluções' da ONU e abertamente revelado sua hostilidade arraigada", disse Ri, em um comunicado veiculado na agência de notícias oficial KCNA.

Os comentários de Biden foram uma "invasão descarada ao direito do nosso Estado de se defender e uma provocação", afirmou, acrescentando que Washington pode ser alvo de "algo que não é bom" se continuar fazendo "comentários descuidados".

"Não estamos, de maneira alguma, desenvolvendo armas para chamar a atenção de alguém ou influenciar em suas política", disse Ri.

"Eu acho que o novo governo dos EUA obviamente tomou o primeiro passo errado."

(Reportagem de Hyonhee Shin; Reportagem adicional de David Brunnstrom em Washington)