Coreia do Norte diz que nunca forneceu armas ou munições à Rússia, diz agência oficial KCNA

Por Joori Roh

SEUL (Reuters) - A Coreia do Norte afirmou nesta quinta-feira que nunca forneceu armas ou munição para a Rússia e não tem planos de fazê-lo, e alertou os Estados Unidos a "manter a boca fechada" e parar de circular rumores que visam "manchar" a imagem do país.

"Recentemente, os EUA e outras forças hostis falaram sobre a 'violação de uma resolução' do Conselho de Segurança, espalhando um 'rumor de negociações de armas' entre a RPDC (República Popular Democrática da Coreia) e a Rússia... Nunca exportamos armas ou munições para a Rússia antes e não planejamos exportá-las", disse o vice-diretor-geral do Escritório Geral de Equipamentos do Ministério da Defesa Nacional do país, segundo a agência KCNA, que não identificou o funcionário pelo nome.

O porta-voz adjunto do Departamento de Estado dos EUA, Vedant Patel, disse no início deste mês que a Rússia "está em processo de compra de milhões de foguetes e projéteis de artilharia da Coreia do Norte para uso na Ucrânia".

Classificando o processo como uma "compra em potencial", o porta-voz de segurança nacional da Casa Branca, John Kirby, esclareceu mais tarde que "não havia indicações de que a compra foi concluída, e certamente nenhuma indicação de que essas armas estão sendo usadas dentro da Ucrânia".

Os Estados Unidos também acusaram o Irã de fornecer drones à Rússia para uso em sua guerra na Ucrânia, o que Teerã negou.

A Rússia também negou as acusações, e exigiu que os Estados Unidos fornecessem provas.