Coreia do Norte diz que sanções impedem importação de equipamentos esportivos

Por Stephanie Nebehay
Competição de esqui em Central Otago, na Nova Zelândia 30/08/2017 Peter Meecham-Winter Games NZ/Divulgação via REUTERS

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) - A Coreia do Norte protestou a três federações esportivas internacionais dizendo que seus pedidos de compra de equipamentos para atletas estão sendo recusados devido às sanções lideradas pelos Estados Unidos, mostraram cartas obtidas pela Reuters nesta quinta-feira.

As cartas datadas de 30 de agosto, que pedem ajuda para adquirir os materiais esportivos, foram fornecidas por um diplomata norte-coreano em Genebra que disse: "Materiais esportivos não podem ajudar a construir mísseis".

As correspondências foram destinadas à Federação Internacional de Esqui e à Federação Internacional de Arco e Flecha, ambas sediadas na Suíça, e também à Federação Internacional de Esportes de Tiro, cuja sede está em Munique, na Alemanha.

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) impôs nove rodadas de sanções à República Popular Democrática da Coreia (RPDC) desde 2006 devido a seus programas nuclear e de mísseis balísticos ilegais. Abrangentes, as sanções se estendem a áreas vagas, como bens de luxo, e a exceções que estão sujeitas a interpretações.

"Esta associação enviou várias cartas de intenção de compra a mais de 20 empresas fabricantes de equipamentos de esqui e agências de vendas, incluindo Atomik (Atomic), Blizzard, Fischer, em junho e em julho em seu esforço para adquirir os equipamentos", disse a comunicação da Associação de Esqui da RPDC, referindo-se a três fabricantes austríacos.

"Mas infelizmente estas fabricantes de equipamentos de esqui e agências de vendas rejeitaram ou não responderam a seu pedido".

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta-feira que seu país adotará mais sanções contra a Coreia do Norte.