Coreia do Norte faz testes para aumentar eficácia de armas nucleares, diz regime

·2 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Coreia do Norte testou um novo sistema de armamentos para melhorar a eficácia de suas armas nucleares táticas, que são armas nucleares de menor poder para atingir alvos localizados, disse a agência estatal de notícias KCNA neste sábado (16) -domingo em Pyongyang. O ditador Kim Jong-un supervisionou o teste, segundo a agência.

A nova arma é de "melhora o poder de fogo das unidades de artilharia de longo alcance de primeira linha e a eficiência do funcionamento das armas nucleares táticas", afirmou a KCNA. Segundo a agência, o teste foi realizado com sucesso -o texto não deixa claro em que data exatamente ocorreu o exercício militar.

A Coreia do Sul reconheceu neste sábado que os vizinhos do norte lançaram dois projéteis pela costa leste do país em direção ao mar. Os projéteis foram disparados de Hamhung por volta das 18h de sexta-feira (15) e caíram a 110 quilômetros de distância, com velocidade máxima de 4.900 km/h.

Para Ankit Panda, membro sênior do Carnegie Endowment for International Peace, com sede nos EUA, o teste provavelmente envolveu um míssil balístico de curto alcance e o primeiro sistema de lançamento de armas nucleares táticas da Coreia do Norte.

Segundo a KCNA, a presença do ditador no exercício militar serviu para dar "instruções importantes para incrementar as capacidades defensivas e as forças nucleares de combate".

Na sexta-feira (15), a Coreia do Norte comemorou o 110º aniversário de nascimento do fundador do regime comunista e avô do atual líder, Kim Il-sung, com uma grande passeata, fogos de artifício e danças sincronizadas, mas sem o tradicional desfile militar que era esperado por analistas.

Observadores e autoridades na Coreia do Sul e nos Estados Unidos tinham receio que o regime norte-coreano fizesse testes nucleares para marcar a data. Há três semanas, Pyongyang testou o míssil balístico intercontinental mais potente de sua história, o primeiro exercício envolvendo um projétil desse tipo desde 2017. Com o lançamento, o regime pôs fim a uma espécie de moratória autoimposta sobre armas nucleares de longo alcance.

Analistas afirmam que Kim procura reagir ao que considera uma ofensiva sul-coreana com apoio dos Estados Unidos. Neste sábado, a 2ª Divisão de Infantaria dos EUA, com sede na Coreia do Sul, compartilhou fotos de testes de tropas disparando um sistema de lançamento múltiplo de foguetes (MLRS). Os exercícios tiveram como objetivo "garantir que mantemos nossa prontidão em apoio à aliança Coreia do Sul-EUA", disse a divisão no Twitter.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos