Coreia do Norte pede que Trump seja 'corajoso' ante seus opositores

Kim Jong Un (C) e Donald Trump (D) durante seu histórico encontro em 12 de junho de 2018

Os meios de comunicação estatais da Coreia do Norte culparam neste sábado os opositores políticos de Donald Trump pelo fato de a discussão sobre desnuclearização se encontrar em ponto morto, e pediram que o presidente amreicano aja com coragem para avançar nesta questão.

Trump e o líder do Norte, Kim Jong Un, realizaram em junho uma histórica cúpula em Singapura.

Na reunião, os dois alcançaram um vago acordo para desnuclerizar a península da Coreia, mas desde então houve muito poucos avanços.

A Coreia do Norte criticou Washington por suas exigências "unilaterais e "ao estilo gângster" para o desmantelamento completo, verificável e irreversível do arsenal atômico de Pyongyang.

Neste sábado, Rodong Sinmun, o jornal mais importante do país, elogiou Trump por buscar melhorar as relações entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte e tentar obter a paz mundial que, segundo disse, seria a "façanha do século".

"No entanto, ele enfrenta muitos oponentes", afirma ainda o texto.

Segundo o jornal, os democratas e, inclusive, alguns republicanos estão dificultando os esforços de Trump por seus própios interesses partidários.

A Coreia do Norte pede que os Estados Unidos concordem em declarar o fim da Guerra da Coreia de 1950-53, e acusa o país de não corresponder a uma série de suas "medidas de boa vontade".

Estas incluiriam o final de seus testes nucleares e de mísseis, a destruição de uma instalação de testes nucleares e a entrega dos restos de soldados americanos mortos na Guerra da Coreia.