Coreia do Sul busca iniciar negociações para resolver disputas históricas com Japão

Presidente da Coreia do Sul, Yoon Suk-yeol, em Seul

Por Hyonhee Shin

SEUL (Reuters) - A Coreia do Sul espera que uma visita de alto nível a Tóquio na próxima semana dê início a negociações visando um avanço em disputas históricas, apesar das preocupações de que a morte do ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe possa mudar as prioridades políticas do Japão, disseram autoridades de Seul.

As relações entre os dois aliados norte-americanos do norte da Ásia têm sido tensas por causa de disputas que datam da ocupação japonesa da Coreia entre 1910 e 1945. Washington tem pressionado Tóquio e Seul a melhorar os laços diante da ameaça nuclear norte-coreana e da crescente influência da China.

Autoridades do governo do presidente sul-coreano, Yoon Suk-yeol, que assumiu o cargo em maio prometendo melhorar as relações com o Japão, disseram à Reuters que se sentem encorajados pela vitória eleitoral do primeiro-ministro japonês Fumio Kishida, o que pode dar mais espaço para avançar sua agenda política para mais três anos.

O ministro das Relações Exteriores, Park Jin, visitará o Japão nos dias 18, 19 e 20 de julho, disse o ministério, uma viagem que uma autoridade graduada responsável pela política do Japão disse ter como objetivo "abrir a torneira" para negociações sérias sobre questões relacionadas ao trabalho forçado na época da ocupação, que pararam sob o governo do antecessor de Yoon.

Park se encontrará com seu colega japonês Yoshimasa Hayashi e discutirá as relações entre os dois países e questões na península coreana, disse o ministério sul-coreano. Park também prestará homenagem a Abe.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos