Coreia do Sul inicia investigação sobre tumulto que deixou 154 mortos no Halloween

Homenagem a vítimas de tragédia em Halloween de Seul

Por Soo-hyang Choi e Ju-min Park

SEUL (Reuters) - Investigadores sul-coreanos vasculhavam imagens nesta segunda-feira de mais de 50 câmeras de circuito fechado de TV estatais e privadas, bem como de mídias sociais, procurando respostas sobre como um tumulto em uma festa de Halloween deixou tantos mortos.

No início de uma semana de luto no país, o número de mortos subiu para 154. Outras 149 pessoas ficaram feridas, 33 delas em estado grave. Pelo menos 26 cidadãos de 14 países estão entre os mortos.

O presidente sul-coreano, Yoon Suk-yeol, pediu uma investigação completa, e as autoridades disseram que estavam focadas em reconstruir o que antecedeu o tumulto e verificar se alguém pode ter sido responsável por desencadear o esmagamento.

"Estamos analisando câmeras de segurança para descobrir a causa exata do acidente", disse o investigador-chefe da polícia, Nam Gu-jun, a repórteres.

"Continuaremos interrogando mais testemunhas, incluindo funcionários de lojas próximas", afirmou ele.

Dezenas de milhares de foliões - muitos na adolescência e na casa dos 20 anos e vestidos com fantasias - se aglomeraram nas ruas estreitas e becos do popular bairro de Itaewon no sábado para as primeiras festividades de Halloween praticamente sem restrições em três anos.

O primeiro-ministro Han Duck-soo, que comanda uma equipe de força-tarefa que lida com o acidente, disse que a identificação das vítimas está quase concluída e que os preparativos do funeral podem avançar, prometendo apoio às famílias das vítimas.