'Coroa vírus', terra 'plena' e caveira da Cedae: foliões apostam em fantasias criativas para blocos

1 / 2

WhatsApp Image 2020-02-15 at 10.07.41 AM.jpeg

Caveira em homenagem à Cedae fez sucesso por onde passou durante "Chora me liga" neste sábado

RIO - Folião que é folião de verdade não economiza quando o assunto é criatividade de fantasias para os blocos de rua. Neste sábado, quando o sertanejo "Chora me liga" promete lotar as avenidas Antônio Carlos e Primeiro de Março, no Centro do Rio, algumas ideias chamaram a atenção do público, que aproveita para fazer uma selfie.

ENCONTRE SEU BLOCO E COMPARTILHE COM OS AMIGOS: Rio de Janeiro • São Paulo • Belo Horizonte

O engenheiro Alexandre Anicio Xavier, de 40 anos, aproveitou o bloco "Chora, me liga" para fazer um protesto bem-humorado sobre a qualidade da água da Cedae. Ele caminhou pela Avenida Primeiro de Março carregando uma caveira com a placa “São as águas da Cedae fechando o verão, é promessa de m**** com água e sabão", paródia de "Águas de Março", música escrita por Tom Jobim na década de 1970.

— Nós temos que aproveitar o carnaval para protestar mesmo. É uma vergonha a qualidade da água que os cariocas estão recebendo em suas casas. Eu pulo, canto, danço, mas não deixo de lado o meu lado cidadão.

A contadora Lohana Amaral, de 25 anos, fez um brinde à liberdade e desfilou com um tapa-teta — tendência do carnavall — e muito glitter.

— Sempre gostei muito de ser livre, mas pela primeira vez eu estou me sentindo à vontade no carnaval. Todas as mulheres deveriam fazer isso, apesar do machismo

Quem também chamava atenção no bloco era o zelador Denilson Vieira, de 54 anos. Ele saiu vestido de "coroa vírus", arrancando risos pelas ruas.

— Está todo mundo com medo de mim por aqui — brincou o folião.

Os temas mais quentes da política nacional também se transformaram em irreverentes fantasias no pré-carnaval do bloco "Céu na Terra" que lota as ladeiras de Santa Teresa na manhã deste sábado. Críticas à crise de água no Rio, à declaração de Paulo Guedes sobre empregadas na Disney e à mal sucedida tentativa de Eduardo Bolsonaro de se tornar embaixador do Brasil nos Estados Unidos são algumas das dezenas de motes que inspiraram foliões.

— O Paulo Guedes falou que nenhuma emprega ia para a Disney, mas na verdade na época do dólar a R$ 1,80 quem ia para Disney era uma nova classe média que estava surgindo. E com a fantasia eu quis por em questão essa fala elitista que diz muito sobre o que esse governo prega — disse Carina, sensação entre os foliões que paravam para tirar fotos.

O professor Richarlls Martins, de 35 anos, parodiou com sua fantasia a tentativa de Eduardo Bolsonaro de se candidatar ao posto de embaixador do Brasil nos EUA. Segundo ele, porém, o exemplo é mais um episódio frente A um cenário mais amplo em que o humor se torna uma forma de trazer a tona reivindicações sociais.

— É uma tentativa de trazer para o carnaval temas neste momento de folia que também sirvam para refletir politicamente sobre o Brasil.

Rio entra em estágio de mobilização

O Centro de Operações Rio (COR), da prefeitura, informou que o município entrou em estágio de mobilização às 7h45 deste sábado, "devido aos múltiplos eventos na cidade neste fim de semana, como desfiles dos blocos e megablocos de rua, entre outros, e às diversas ruas que estarão interditadas por causa desses cortejos. O estágio de mobilização significa que há riscos de ocorrências de alto impacto.

Ainda de acordo com o COR, o sábado séra de tempo instável. Áreas de instabilidade em altos níveis da atmosfera, associadas ao calor e à disponibilidade de umidade, deixarão o dia com predomínio de céu parcialmente nublado, passando a nublado no fim da tarde, e previsão de pancadas de chuva isoladas no período da noite. Máxima prevista de 34 graus. O domingo também será de sol e calor, com máxima de 36 graus, e previsão de pancadas de chuva a partir da tarde.

A cobertura do carnaval de rua do jornal O GLOBO tem apoio de Ame Digital.