CoronaVac: Sem autorização da Anvisa, SP reserva 12 milhões de doses para crianças

·2 min de leitura
Butantan Institute director Dimas Covas speaks at a press conference in Sao Paulo, Brazil on May 31, 2021. An unprecedented experiment in the world, carried out in Brazil's small town of Serrana, in Sao Paulo State, has succeeded in reducing new deaths from COVID-19 by 95 percent and controlling the pandemic after 75 percent of the adult population received two doses of Chinese company Sinovac's CoronaVac vaccine, local authorities said.TO GO WITH
Diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, pediu que Anvisa atenda pedido de autorização para uso da Coronavac em crianças (Foto: Rahel Patrasso/Xinhua via Getty Images)
  • Estado de SP já reservou 12 milhões de doses da Coronavac para aplicação em crianças

  • Anvisa ainda não autorizou uso da vacina da Sinovac e do Butantan em menores de idade

  • Butantan afirmou que prepara novo dossiê para atestar segurança e eficácia da Coronavac em crianças

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda não aprovou o uso da Coronavac, vacina anticovid produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a Sinovac, para menores de 18 anos. Mesmo asim, o governo de São Paulo já reservou 12 milhões de doses do imunizante para vacinas crianças de 3 a 11 anos. 

O anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB) e pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, nesta quarta-feira (8). 

O Butantan já enviou à Anvisa o pedido de uso da Coronavac em crianças. Na primeira vez, a autorização foi recusada e, na segunda, ainda não recebeu a autorização para iniciar a aplicação. A plataforma usada na vacina é de vírus inativado, usada em outros imunizantes aplicados durante a infância. 

"Uma notícia importantíssima essa reserva de doses. E, veja, o mundo está neste momento fazendo um grande movimento de vacinação infantil e de adolescentes. A China anunciou que vacinará a população infantil, de 3 a 11 anos, até o final deste ano. Países vizinhos, com o Chile, começaram a vacinação desse população em setembro", afirmou Dimas Covas. 

"A Coronavac é a vacina mais segunda para essa população. Na verdade, é a vacina mais segura para todas as populações, mas especificamente para esta população é a vacina mais segura, a vacina que tem menos reações adversas e essa população responde de forma muito acentuada em relação à produção de imunidade", declarou. 

Covas ainda declarou que o Butantan ofereceu ao Ministério da Saúde 15 milhões de doses da vacina, prevendo a necessidade de imunizar crianças. A pasta recusou a compra oficialmente através de um ofício. 

"Uma vacina excelente, uma excelente eficiência, um excelente perfil de segurança, e que deve, sim, ser usada em crianças", afirmou. Segundo o diretor do Instituto Butantan, está sendo preparado um segundo dossiê para pedir a autorização à Anvisa. "Esperamos que a Anvisa nos atenda nesse pleito, que é um pleito necessário para o Brasil". 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos