Coronavírus: Bares do Rio se reinventam para não fecharem as portas e agradar clientes

RIO — A preocupação com os efeitos do Coronavírus está fazendo bares tradicionais da cidade reverem seus conceitos e formas de atendimento para não deixar os fregueses na mão e, também, evitar um colapso financeiro que possa resultar desde demissões até o fechamento em definitivo dos estabelecimentos. Muitos locais que só serviam em suas lojas passaram a atender por delivery.

Vencedor do concurso Comida di Buteco em 2015, o Santo Remédio, famoso bar do Grajaú, passou a adotar algumas medidas nestes tempos de crise.

— Ofereceremos delivery e decidimos fechar o bar às 22h. Ficar até tarde da noite é uma pegada mais de boemia. E a gente entende que aquele chopinho a mais, diferentemente de alimentação, tem que ser temporariamente adiado — diz Vagner Duarte, do Santo Remédio.

Patrimônios culturais da cidade com mais de 70 anos de existência como o Adonis, em Benfica, e o Bode Cheiroso, no Maracanã, também reduzirão a capacidade dos salões. O Bode Cheiroso passará a trabalhar com delivery, incluindo o pernil com maionese no almoço e jantar.

O Bar do Momo, na Tijuca, já fechou o salão anexo e reduzirá o atendimento, priorizando também as entregas a domicílio do famoso bolinho de arroz. O premiado Aconchego Carioca, da chef Katia Barbosa, reduzirá atendimento na Praça da Bandeira, Leblon e no Shopping Village Mall. O quiosque, em Copacabana, ficará fechado durante a quarentena.

Redutos de políticos como Eduardo Paes, Rodrigo Maia e Marcelo Freixo, o Cachambeer de Marcelo Novaes não vai deixar ninguém na mão, e já tratou de contratar um delivery para mandar costela no bafo para todo a região do Grande Méier.

O Bar da Frente, outro ex-campeão do Comida di Buteco, na Praça da Bandeira, e seu vizinho Kalango, estarão de salões fechados, mas passarão a adotar o serviço de delivery.

— Vou dar 15% de desconto para quem vier buscar o pedido e não vou cobrar taxa de entrega para quem pedir pelo delivery do bar. Se alguém quiser vir aqui, só vai beber na varanda ou na calçada. Salão estará fechado — diz a dona, Mariana Rezende.

O Cine Botequim, no Centro, a Casa do Galeto, no Jacaré, e o Dom Pedro, em Benfica, também não fecharão as portas. No entanto, só trabalharão com 30% de capacidade. Já a Casa Porto, no Largo da Prainha, oferecerá uma dose de batida, pimenta e sobremesa por conta da casa para quem fizer pedidos pelo delivery.

— Além das nossas minutas, vamos fazer entrega de comida de primeira necessidade. Se o cliente quiser uma quentinha de arroz, tem. Só de feijão, tem. Purê? Tem. Vamos atender a todos — explica Raphael Vidal.

Serviço:

- Santo Remédio: Rua Barão de Mesquita, 922 – Grajaú. Telefone: 3217-3515

- Adonis: Rua São Luiz Gonzaga, 2156 - Benfica. Telefone: 2026-4186

- Bar do Bode Cheiroso: Rua General Canabarro, 218 – Maracanã. Telefone: 2568-9511

- Bar do Momo: Rua General Espírito Santo Cardoso, 50ª – Tijuca. Telefone: 2570-9389

- Aconchego Carioca: Rua Barão de Iguatemi 245 – Praça da Bandeira. Telefone: 2273-1035

- Cachambeer: Rua Cachambi, 475 – Cachambi. Telefone: 3042-1640

- Bar da Frente: Rua Barão de Iguatemi, 388 – Praça da Bandeira. Telefone: 2502-0176

- Kalango: Rua São Valentim, 513 – Praça da Bandeira. Telefone: 2504-0088

- Cine Botequim: Rua Conselheiro Saraiva, 39 – Centro. Telefone: 2253-1414

- Casa do Galeto: Rua Lino Teixeira, 304 – Jacaré. Telefone: 3648-0057

- Dom Pedro: Rua Francisco Manuel, 31 – Benfica. Tel: 3279-0092

- Casa Porto: Largo São Francisco da Prainha, 04 – Saúde. Telefone: 97273-0502