Coronavírus: Centro Hospitalar da Fiocruz, voltado para pacientes graves, entra em funcionamento

RIO — Uma nova unidade de saúde voltada para pacientes com o coronavírus entrou em funcionamento nesta terça-feira, em Manguinhos. O Centro Hospitalar para a Pandemia de Covid-19 – Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz) começou a receber de forma gradual os primeiros pacientes transferidos pela central estadual de regulação de vagas. Ao todo, quando o hospital estiver em pleno funcionamento, serão disponibilizados 195 leitos para o tratamento intensivo e semi-intensivo.

Construído em dois meses pela Fundação Oswaldo Cruz em regime emergencial, o hospital possui características específicas que o difere das unidades de campanha, como quartos individuais. Há, ainda, uma central de tratamento de esgoto própria, concebida para tratar resíduos com o novo coronavírus e garantir destino seguro do efluente gerado. A unidade é autossuficiente, tendo fornecimento de energia, geradores e reservatórios de água.

No local também funcionará uma estrutura de call center com operadores treinados para atualizar os familiares a respeito do boletim médico de cada paciente. Com o objetivo de diminuir a distância com os entes queridos durante o período de internação, também serão realizadas ligações por vídeo com os pacientes cuja condição clínica permita a interação.

O novo hospital passa a integrar o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), unidade de referência da Fundação na atenção especializada em doenças infecciosas, e que já atua também como referência para o atendimento a pacientes graves de Covid-19. De acordo com a presidente da Fundação Oswaldo Cruz, Nísia Trindade, o hospital ficará de legado para a cidade.

— Neste momento, em que acompanhamos com tanta preocupação o aumento de casos e de mortes em nosso país, e em particular no Rio de Janeiro, é com grande emoção que entregamos esse hospital dedicado exclusivamente à Covid-19 e que permanecerá como um legado para o Sistema Único de Saúde — disse Nísia durante visita ao local.