Coronavírus: Cidade do Rio registra 278 casos e um óbito na rede municipal

RIO — A rede municipal de saúde do Rio registrou o primeiro caso de morte em decorrencia do coronavírus. Um idoso de 75 anos, que era paciente cardiopata, morreu no CER Leblon no último dia 19.. Segundo a prefeitura, ele começou a apresentar sintomas no último dia 12 de março, foi internado seis dias. Já são 278 casos confirmados na capital distribuidos em 36 bairros, sendo a Barra da Tijuca,com 42 casos o local com mais confirmações.

Coronavírus: Estado do Rio registra 6 mortes de 305 casos

Em um boletim divulgado nesta terça-feira (24), a Secretaria estadual de Saúde do Rio confirmou seis óbitos causados pelo coronavírus, além de 305 casos — um crescimento de 30% em relação ao dia anterior. São duas mortes confirmadas nas últimas 24h. Segundo a pasta foram dois idosos, um homem de 74 anos e uma mulher de 71, que eram residentes da capital. A cidade do Rio concentra o maior número de casos, com 276 confirmados.

Os outros óbitos foram registrados na cidades de Miguel Pereira, Niterói, Petrópolis e na capital. Segundo a Sescretaria, todos eram idosos e apresentavam comobidades, sendo classificadas como grupo de risco.

Foram confrmados casos em 10 municípios:

Rio de Janeiro – 276Niterói – 12Volta Redonda – 4Petrópolis – 3São Gonçalo - 3Barra Mansa – 1Campos dos Goytacazes – 1Duque de Caxias – 1Guapimirim – 1Miguel Pereira – 1Exterior – 2

Brasil tem 2.201 casos confirmados e 46 mortes

O número de pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus no Brasil subiu para 2.201 e o total de mortes chega a 46. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde na tarde desta terça-feira. No último balanço do governo, na segunda-feira, o total de infectados chegava a 1.891, com 34 mortes confirmadas. O crescimento no número de casos confirmados foi de 16%. No de mortos, o aumento foi de 35%.

São Paulo ainda lidera o ranking da doença no Brasil. De acordo com o novo balanço, o estado tem 810 casos confirmados da doença, com 40 mortes.

O Ceará é o terceiro estado com o maior número de casos confirmados: 182. Logo em seguida vem Distrito Federal, com 160 casos confirmados.

Prefeitura vai oferecer 400 vagas em hotéis com prioridade para idosos de comunidades

A prefeitura do Rio vai oferecer 400 vagas em hotéis da cidade, que serão ocupadas preferencialmente por idosos em situação de risco que moram nas comunidades. A informação foi confirmada pela Secretaria municipal de Assistência Social.

Gestantes e mães com crianças e adolescentes em situação de rua também podem ser atendidas. Entretanto, segundo a pasta, o termo com todas as informações sobre a medida ainda está em fase de elaboração e será divulgado em breve.

Em entrevista, pela manhã, o prefeito Marcelo Crivella havia informado que a prefeitura estava alugando dez hotéis e que as diárias teriam como prioridade idosos que moram em comunidades da Zona Sul. A região, juntamente com a Barra da Tijuca, é a que concentra a maioria dos casos confirmados de contaminação pela Covid-19.

Entretanto, a primeira comunidade a ter um caso de contaminação confirmado foi a Cidade de Deus, na Zona Oeste. Cesário Soares, presidente da Associação de Moradores local, concorda que outras comunidades precisam ser atendidas, mas acredita que a medida deveria começar por onde já há confirmação da doença.

— Não mudou nada. A Zona Sul sempre prevaleceu. Reconheço que Copacabana, por exemplo, tem muitos idosos, mas não podem esquecer de nós. Vamos esperar para ver o que acontece — disse Cesário.

Vice-presidente da Associação de Moradores dos Tabajaras e Cabritos, Vânia Ribeiro acha a medida importante. Porém, acredita que vá enfrentar resistência das famílias.

— A medida é interessante, mas não sei se os idosos vão querer ir (para os hotéis). Nas comunidades temos uma situação diferente em que as famílias tratam dos seus idosos até a morte, ao contrário do asfalto onde os parentes contratam cuidadores. A decisão é boa, mas não sei como a comunidade vai receber — pondera.