Coronavírus: cuidados com higiene por causa da pandemia podem evitar 'temporada das viroses'

Leticia Lopes
Antes da suspensão das aulas, colégio intensificou medidas de higiene

A chegada do outono nesta sexta-feira (20) abre a chamada "temporada das viroses", quando o clima frio e seco cria o cenário ideal para a proliferação de infecções e alergias respiratórias. A pandemia do coronavírus, no entanto, pode acabar diminuindo o número de casos de outras doenças que normalmente acontecem nesse período do ano. O motivo é a atenção redobrada com a higiene, uma das medidas para evitar a propagação do vírus.

Compartilhe por WhatsApp: clique aqui e acesse um guia completo caibre o coronavírus

Para a médica Tânia Vergara, presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), a redução de casos de doenças infecciosas geralmente acontece quando há um estímulo nas precauções de higiene, e que até infecções hospitalares podem ser mais raras devido a precaução das pessoas.

— Quando há um cuidado maior com a higiene das mãos, você reduz muito essa cadeia de transmissão de microorganismos, e com isso, diminui a incidência de infecções que podem ser transmitidas dessa forma, inclusive as hospitalares. Na epidemia de SARS, aconteceu isso, e na H1N1 (em 2009), também. É algo positivo em meio a pandemia — acredita.

A infectologista ainda explica que nesse período do ano, que compreende ainda o inverno, fatores como a poluição atmosférica somada à baixa umidade do ar, também dificultam o dia a dia de quem tem alergias respiratórias. As reações alérgicas acabam diminuindo as defesas do organismo, abrindo caminho para infecções respiratórias como a causada pelo rinovírus, ou o resfriado e a gripe.

Por conta da pandemia do COVID-19, o Ministério da Saúde decidiu antecipar a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe, e inverter a ordem do público-alvo, começando pelos idosos e profissionais de saúde. A imunização começa no dia 23 de março. O objetivo é evitar que as pessoas acima de 60 anos, público mais vulnerável ao coronavírus, precise se deslocar no período esperado de maior circulação do novo vírus no país.

— O COVID-19 e a gripe são muito parecidas, então com a população vacinada você diminui o fator de confundimento quando o indivíduo chega na unidade de saúde — diz Vergara.

Patrícia Canto é pneumologista da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz. Para ela, além da higienizaçao reforçada, a recomendação de que as pessoas permaneçam em casa e evitem aglomerações como combate ao coronavírus também vai fazer com que outras viroses não sejam transmitidas

— Nessa época mais fria, normalmente ficamos mais próximos um dos outros, e em lociais com menos circulação de ar. Com esses locais que são mais fechados, como shoppings, cinemas e teatros, por exemplo, estão proibidos de funcionar, com certeza vamos ter uma chance de redução nas transmissões, principalmente das doenças respiratórias, que estão muito relacionadas ao contato direto, a proximidade entre as pessoas — diz a médica.