Coronavírus: Doria prorroga quarentena em São Paulo até 31 de maio

Silvia Amorim
São Paulo (SP), 06/05/2020 - Coletiva de imprensa João Doria Covid19 - João Doria, (PSDB) Governador de São Paulo, anuncia medidas de combate ao Coronavírus, (COVID-19) nesta quarta feira, (6) no Palácio dos Bandeirantes. São Paulo atinge 3 mil mortes pelo coronavírus e decreta luto oficial, Joáo Doria alerta para impossibilidade de flexibilização da quarentena se taxa de isolamento não subir para 55%. (Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Agência O Globo) São Paulo

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, João Doria, anunciou nesta sexta-feira a prorrogação da quarentena para até 31 de maio no estado. Ele justificou a medida classificando o cenário da pandemia causada pelo novo coronavírus como "desolador" em São Paulo.

- O cenário é desolador. Teremos que prorrogar a quarentena até 31 de maio. Queremos em breve poder anunciar a retomada gradual da economia - afirmou Doria.

O isolamento social em vigor no estado vence no próximo domingo. No mês passado Doria convocou uma entrevista coletiva para apresentar um plano de reabertura econômica gradual e regionalizada. O anúncio aumentou as expectativas por um relaxamento da quarentena em algumas regiões.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, se antecipou à decisão do governador e decretou na quinta-feira a volta do rodízio municipal de veículos numa versão mais rigorosa a partir do próximo dia 11. Por dia, metade dos carros não poderá circular na cidade durante 24 horas. O esquema vale para toda a cidade, durante toda a semana, incluindo sábado e domingo.

A cidade de São Paulo atingiu taxa de ocupação dos leitos hospitalares públicos superior a 80%. No interior do estado a velocidade de crescimento de casos do novo coronavírus está acima do que em outras regiões.

O coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus, infectologista David Uip, se afastou nesta sexta-feira pela segunda vez durante a pandemia das suas funções no grupo. Ele esteve afastado do centro no início da epidemia por ter contraído a Covid-19. Desta vez, um comunicado divulgado pelo médico fala em "alterações cardiológicase clínicas" para justificar o pedido de afastamento por "alguns dias".