Coronavírus: Estado do Rio já acumula mais de nove mil casos e 854 mortes

Agentes funerários retiram corpo de contêiner em hospital da Ilha do Governador

Segundo o boletim divulgado pela Secretaria estadual de Saúde nesta quinta-feira (30), o Rio já registra 854 mortes desde o início da pandemia e 9.453 casos confirmados de Covid-19. Nas últimas 24 horas foram confirmados 60 óbitos e 584 novas pessoas infectadas com o coronavírus. A secretaria ainda investiga outras 294 mortes suspeitas.

A capital continua sendo o epicentro da pandemia no estado e registrou 39 óbitos nas últimas 24 horas. Os municípios com mais óbitos por coronavírus são:

As cidades com mais casos de Covid no estado são:

O Rio viveu nesta quarta-feira mais um motivo para manter acesa a esperança de dias melhoras diante da pandemia de Covid-19: teve alta a idosa Nair Torres Santos, de 101 anos. Depois de oito dias internadas no Hospital Norte D’Or, em Cascadura, Zona Norte do Rio, ela recebeu alta e pode ir com sua família para casa. Nair nasceu em 1918, justamente o ano em que a gripe espanhola atingiu o mundo, e pode ser considerada testemunha viva de muitos acontecimentos.

Na saída do hospital, com um coração de pelúcia no colo, a idosa estava acompanhada da filha, que agradeceu a Deus e a toda a equipe médica pelo atendimento. Profissionais da saúde que acompanharam a saída aplaudiram Nair e a parabenizaram pela luta contra a doença, a chamando de "guerreira" e vencedora.

— Eu agradeço a Deus e a todos aqui, do começo ao fim. Todos nos trataram sempre muito bem. E a senhora venceu mais essa — disse a filha de Nair, bastante emocionada e segurando a mão da idosa.

Nair deu entrada no último dia 21, ficou internada na UTI até o dia 26. A melhora gradual a levou para o quarto no dia 27, até receber a alta na tarde desta quarta-feira. O diretor do Hospital Norte D'or, Ricardo Calado, destaca que o caso dela motiva ainda mais toda a equipe médica a continuar se dedicando no combate ao novo coronavírus.

— É mais de um século de memórias que ela leva consigo. E vê-la retornar para casa, sabendo que vai compartilhar mais momentos com os parentes, traz uma alegria indescritível para nós — afirma o diretor.