Coronavírus: estudo da Fecomércio aponta que 72% dos fluminenses aprovam quarentena

Paulo Cappelli
Decreto estadual tem mantido o comércio fechado no Rio

RIO — A pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19) mudou hábitos de consumo em todos os continentes. Um estudo feito pela Fecomércio e obtido pelo GLOBO, porém, aponta que 72,1% dos fluminenses entrevistados se declararam favoráveis à determinação de afastamento social. Sobre o tempo de permanência da quarentena, 20,3% disseram acreditar que levará mais dois meses; 18,5%, menos de um mês; para 18,1%, passará de três meses; para 17,2%, mais um mês; para 11% mais um mês e meio; e, para 10,8%, mais três meses.

O levantamento do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ) foi feito pela internet e ouviu 962 pessoas dos 92 municípios do estado. Dos entrevistados, 54,8% afirmaram que tiveram que suspender compras planejadas. Outros 17,6% revelaram que suas compras foram adiadas para o segundo semestre, e 11,1% postergaram para o próximo mês.

O quesito alimentação é o destino principal de consumo para 92,1% dos moradores do estado. Produtos de limpeza também figuram entre os itens mais adquiridos por 66% dos fluminenses. Outras mercadorias também foram lembradas, como itens de higiene pessoal (62,9%), farmacêuticos (39%) e veterinários (18,5%).

O levantamento aponta que 78,8% dos entrevistados têm evitado sair de casa; 74% evitam aglomerações; 72,8% lavam as mãos com frequência; 68,2% utilizam álcool em gel para higienização das mãos; 51% utilizam máscara de proteção; 38,5% não compartilham objetos pessoais; 37,6% trabalham de casa; e 34,4% utilizam com mais regularidade os serviços que oferecem entrega em domicílio.