Coronavírus: Facebook e Google vão manter maioria dos funcionários trabalhando em casa até o fim do ano

Facebook e Google informaram nesta quinta-feira a seus funcionários que a maioria deles vai trabalhar de casa até o fim do ano, de acordo com o site "The Information". Os anúncios de duas das maiores empresas do Vale do Silício, na Califórnia (EUA), dão uma ideia de como o restante da indústria de tecnologia planeja funcionar nos próximos meses, no momento em que muitos países já discutem ou colocam em prática uma "reabertura" pós-pandemia do novo cornavírus.

O Facebook não pretende reabrir a maioria de seus escritórios até 6 de julho, e mesmo assim apenas para quem realmente precisar retornar. "A empresa considerará vários fatores como 'dados de saúde pública, orientação governamental e nuances locais' ao decidir reabrir seus escritórios", afirmou uma porta-voz.

 

 

Já o diretor-executivo do Google, Sundar Pichai, disse aos empregados em uma reunião geral da empresa que eles provavelmente trabalharão remotamente pelo resto de 2020. Quem precisar voltar ao escritório começará a fazê-lo a partir de julho, com medidas de segurança aprimoradas.

Em abril, o diretor-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, declarou que os funcionários da rede social provavelmente estariam entre os últimos a voltar ao escritório quando as empresas reabrissem, observando que o retorno ao trabalho teria que ser feito de maneira "escalonada". Na época, ele afirmou que a maioria dos funcionários trabalharia em casa até o fim de maio.

 

 

 

O Google havia feito planos semelhantes para seus funcionários, tendo informado anteriormente que eles trabalhariam em casa pelo menos até 1º de junho. Nesta quinta-feira, Pichai disse que os funcionários que precisam trabalhar em escritórios poderão fazê-lo a partir de junho ou julho, segundo o "The Information", e que a empresa tomará medidas de segurança para protege-los.

Os anúncios das duas empresas afetam vários milhares de trabalhadores em todo o mundo. Atualmente, o Facebook tem mais de 48.000 funcionários em período integral, enquanto a Alphabet, empresa controladora do Google, possui mais de 120.000.