Coronavírus força empresa aérea a quebrar recorde mundial de voo mais longo: Taiti-Paris

Avião da empresa Air Tahiti Nui ficou 16 horas no ar e percorreu mais de 15 mil quilômetros

A aviação é um dos setores mais impactados pela pandemia do novo coronavírus. Além de voos cancelados, empresas criaram novas rotas para evitar a circulação de pessoas por alguns aeroportos. No último dia 14, um voo comercial bateu o recorde de distância mais longa já registrada após percorrer 15,7 mil quilômetros de Papeete, no Taiti, até o aeroporto Charles Gaulle, em Paris, na França.

Compartilhe por WhatsApp:clique aqui e acesse o guia completo com tudo sobre coronavírus.

A longa viagem foi uma consequência das restrições para voos internacionais imposta pelo governo dos Estados Unidos já que essa rota normalmente inclui uma parada no aeroporto de Los Angeles, na Califórnia.

O recorde anterior era da Singapore Airlines, que oferece um serviço regular de passageiros entre Cingapura e Newark, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, cobrindo uma distância de 15,3 mil quilômetros.

"Este voo foi operado de maneira excepcional e dentro das restrições impostas pelas autoridades americanas diante da epidemia de Covid-19", disse um porta-voz da Air Tahiti Nui à "CNN". A empresa também informou que a tripulação foi reforçada com quatro pilotos e que a aeronave era de "última geração".

A  Air Tahiti Nui  não pretende manter a rota. Desde o fim de semana a escala em Los Angeles foi substituída por uma aterrissagem em Vancouver, no Canadá.