Coronavírus: governo do estado publica normas a serem seguidas por hotéis do Rio

A Secretaria estadual de Saúde publicou, nesta quarta-feira (dia 18), normas de conduta e recomendações para a prevenção e o controle de contaminação pelo novo coronavírus a serem adotadas por meios de hospedagem do Estado do Rio. As orientações são para os casos de hóspede com sintomas associados à Covid-19, funcionários na mesma situação, trabalhadores já com diagnóstico e medidas para serem adotadas nos ambientes.

Segundo a pasta, quando for identificado um hóspede que apresente sinais e sintomas de infecção respiratória, o hotel, a pousada ou o hostel deve indagar diretamente a ele se está com febre ou sintomas respiratórios como tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal, dificuldade para deglutir, dor de garganta e coriza. Caso o hóspede apresente os sinais mencionados, a gerência deve orientá-lo a buscar atendimento no hospital ou na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próximo.

Ainda é preciso recomendar o uso de máscara cirúrgica e medidas padrão de controle pela pessoa; restringir sua permanência nos ambientes de atividades coletivas, como refeitórios e áreas de lazer; e sugerir a manutenção de ventilação natural nas dependências do hóspede, diminuindo o uso de ar-condicionado ao estritamente necessário.

A unidade de hospedagem também deverá comunicar o caso às autoridades de vigilância em saúde, estadual (notifica.ses.rj@gmail.com ou 21-98596-6553) ou municipal (21 9800007575).

Leia mais:

Funcionário afetado

Caso um funcionário seja identificado com sintomas respiratórios, a orientação é fornecer máscara cirúrgica e exigir seu uso imediato; afastá-lo de suas atividades; encaminhá-lo ao atendimento médico para elucidação diagnóstica, o mais brevemente possível; e comunicar às autoridades sanitárias a ocorrência de suspeita de caso de infecção humana.

Se o diagnóstico de coronavírus for confirmado, o trabalhador deve ficar afastado pelo prazo determinado por recomendação médica; e a unidade de hospedagem deve prezar pela ventilação natural nos ambientes, com diminuição do uso de ar-condicionado ao estritamente necessário nos ambientes que ele ocupava.

Veja também:

A secretaria pede ainda que os meios de hospedagem divulguem e reforcem a adoção de medidas de higiene das mãos e forneçam álcool em gel, água e sabonete líquido (ou espuma) para funcionários e hóspedes.

Também devem reforçar a etiqueta respiratória; manter os ambientes naturalmente ventilados, com portas e janelas abertas; e observar o cumprimento dos procedimentos de higiene e desinfecção de utensílios, superfícies e ambientes de convivência e de uso exclusivo.

A pasta também recomenda que sejam paralisadas atividades em academias, spas, piscinas e demais áreas de convívio.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)