Coronavírus: Mastercard fecha escritório em SP e NY após diagnóstico de funcionário

Elisa Martins
Imagem do microscópio eletrônico de transmissão mostra o Sars-CoV-2 isolado de um paciente nos EUA.

SÃO PAULO — A Mastercard fechou os escritórios em São Paulo e em Purchase North, em Nova York, depois que um funcionário foi diagnosticado com o novo coronavírus. Ele trabalha no Brasil, mas visitou o escritório nos Estados Unidos no início desta semana. Segundo a empresa, o empregado "está recebendo cuidados médicos adequados".

Em nota, a Mastercard afirma que os escritórios de São Paulo e Purchase North passam "por um processo de higienização completa", a conselho das autoridades de saúde, depois da confirmação do caso.

"Embora se acredite que haja um baixo risco de transmissão para a maioria de nossos funcionários que não estiveram em contato próximo com esse indivíduo, notificamos os membros da nossa equipe e eles estão tomando as medidas necessárias para monitorar sua própria saúde", diz o texto, sem precisar por quanto tempo os escritórios estarão fechados para higienização.

A empresa afirma ainda, em nota, que os funcionários que estiveram em contato com o funcionário infectado e que tenham desenvolvido sintomas procurem atendimento médico e trabalhem em casa por 14 dias.

A Mastercard não informou quantos funcionários tiveram contato com o homem diagnosticado com coronavírus. Disse, apenas, que "eles só retornarão ao escritório após esse período (14 dias) e desde que eles, ou qualquer membro da sua família, não estejam doentes ou apresentando os sintomas".

Segundo a empresa, as operações "continuam normalmente".

SP já tem dez casos

Nesta sexta-feira, o Ministério da Saúde informou que o país já tem 13 casos confirmados de coronavírus - dez deles são do estado de São Paulo, que contabiliza outros 222 suspeitos.

Segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde, os dez casos confirmados em São Paulo "estão estáveis e em isolamento domiciliar".

A informação mais recente até então dava conta de seis casos no estado. Os quatro novos casos têm histórico de viagem à Europa, com passagem por países como Itália e Inglaterra.

Entre os dez casos, o de uma estudante de 13 anos é assintomático, mas foi confirmado pelo Ministério da Saúde por apresentar elementos como resultado positivo do exame, infecção provável na Itália e possibilidade de estar em período de incubação do vírus, ainda sem manifestação de sintomas.

Nos últimos dias, o estado descartou 189 suspeitas de infecção por coronavírus.