Coronavírus: no México, cartel de El Chapo impõe lockdown e ameaça com tortura quem o viola

Os filhos do narcotraficante Joaquín "El Chapo" Guzmán, preso numa cadeia de segurança máxima nos EUA, impuseram um toque de recolher aos habitantes da cidade de Culiacán, capital do estado de Sinaloa, no México, devido à pandemia do novo coronavírus eestão ameaçando punir aqueles que não cumprirem a medida.

De acordo com uma reportagem do site "Infobae Mexico", vários vídeos que circulam nas redes sociais mostram os homens de Iván Archivaldo Guzmán e Jesús Alfredo, conhecidos como "Los Chapitos", fortemente armados, andando de carro pelas ruas de Culiacán, base de sua organização criminosa, para assegurar que as pessoas permaneçam em suas casas.

 

 

 

Eles alertam que quem não cumprir o toque de recolher estará sujeito a punições como surra com tábuas de madeira, "prisão", além do pagamento de "multas". "Estamos informando que, depois das dez da noite, vocês têm estar dentro de suas casas devido ao coronavírus. Se não entenderem a parada, vamos dar uns tapas, p*! São ordens de cima dos Chapitos. Não é um jogo, não estamos jogando'', diz a voz de um homem em uma das gravações, publicada originalmente no dia 14 de abril.

Em outro vídeo, um suposto membro do Cartel de Sinaloa adverte que "toda pessoa sem emprego ou renda vai se ferrar, vai ser levada pela 'polícia' para a 'prisão' por dois dias e também terá que pagar uma 'multa'", detalhando que somente as pessoas que voltam para suas casas após o dia de trabalho podem circular nas ruas. Fotos de um homem sendo espancado com uma tábua de madeira, onde se lê Covid-19 escrito, também viralizaram.

 

 

 

Em várias cidades, como El Dorado, moradores contam que quem desobedece a ordem é capturado, afirma o "Infobae". Eles também dizem que os criminosos do Cartel de Sinaloa - que movimenta US$ 1 bilhão com o tráfico de drogas - mantêm a venda clandestina de álcool, embora uma "lei seca" tenha sido promulgada no estado da emergência do coronavírus.

A Secretaria de Segurança Pública e o governo de Sinaloa não se manifestaram sobre o assunto, segundo o site. Por enquanto, as autoridades apenas recomendam que a população fique em casa - o isolamento não é obrigatório. Até o momento, o México registrou 26.025 casos de coronavírus e 2.507 mortes. Sinaloa é o quinto local com mais afetado, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados nesta terça-feira: são 173 mortes. Fica atrás apenas de Cidade do México (543), Baja California (289), Estado do México (227) e Tabasco (176).

 

 

 

Em contraste com sua violência brutal, o cartel de El Chapo também tenta conquistar o público com atos de caridade durante a pandemia. No mês passado, uma de suas filhas foi gravada distribuindo pacotes de ajuda a moradores carentes da segunda maior cidade do México, Guadalajara.