Coronavírus no poder: veja quem já foi infectado

Gustavo Maia, Victor Farias e Daniel Gullino
Presidente e ministros usando máscaras

BRASÍLIA — O número de membros da comitiva presidencial que viajou aos Estados Unidos infectados com o novo coronavírus chegou ontem a 17. Testaram positivo os ministros do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, e de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Além dos dois, o vírus chegou também ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que não viajou. Vários dos infectados tiveram agendas cheias com outras autoridades antes de descobrir a doença.

O diagnóstico de Heleno, que tem 72 anos e faz parte do grupo de risco, foi divulgado no Twitter do ministro na manhã de ontem. Ele fez o exame anteontem, no departamento médico do Palácio do Planalto. Na rede social, Heleno ressaltou que ainda aguarda uma contraprova, mas disse que já está em isolamento. Na semana passada, um primeiro exame havia dado negativo .

Já a informação de que o ministro de Minas e Energia está infectado foi divulgada pelo presidente Jair Bolsonaro. Ele afirmou que o ministro está em “excelente estado de saúde, assintomático e observará o isolamento no Rio de Janeiro”.

Apesar de não ter participado da comitiva que foi aos EUA, Alcolumbre pode ter sido infectado por um dos integrantes do grupo, o senador Nelsinho Trad (PSD-MS), que teve o diagnóstico de Covid-19 confirmado na sexta-feira passada. Primeiro parlamentar contaminado, Trad teve uma rotina intensa antes de saber que estava infectado.

— Eu abracei meio Congresso — contou ao GLOBO logo após ser diagnosticado com a doença.

Pelo contato com Trad, Alcolumbre fez o primeiro teste, que retornou com o resultado negativo, no sábado (14). O presidente do Senado, no entanto, começou a sentir uma indisposição na segunda-feira e refez o exame, que detectou a presença do vírus. A informação foi divulgada ontem. Segundo a nota da presidência do Senado, ele “está bem, sem sintomas severos, salvo alguma indisposição, e segue em isolamento domiciliar”.

A agenda dos infectados

Antes do resultado positivo, Alcolumbre e Heleno se reuniram com autoridades em Brasília. Na segunda-feira, o presidente do Senado participou de um encontro no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o novo coronavírus com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Supremo, Dias Toffoli, além do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, do advogado-geral da União, André Mendonça, e dos ministros do STF Gilmar Mendes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Cármen Lúcia. Não é possível saber se Alcolumbre estava infectado, pois só fez o teste no dia seguinte.

Já o ministro-chefe do GSI se reuniu três vezes com o presidente Bolsonaro depois de fazer o teste que viria a apontar diagnóstico positivo. O militar se encontrou ainda com dois ministros — Jorge Oliveira, chefe da Secretaria-Geral da Presidência, e Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo — e com outras 14 pessoas ao longo do dia, segundo sua agenda oficial.

O ministro Bento Albuquerque, por sua vez. não teve compromissos oficiais nos últimos dois dias. Na sexta-feira, encontrou o diretor-presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo, depois de ter recebido na véspera um resultado negativo.

Comitiva com vírus

Com o diagnóstico de Heleno e Bento, a lista de infectados da comitiva chega a 17, sem contar com o prefeito de Miami, Francis Suarez, que teve contato com o grupo e foi testado positivo para a doença.

Primeiro a ter o diagnóstico positivado, o secretário especial de Comunicação da Presidência, Fábio Wajngarten, está isolado e publica o dia a dia da doença no Twitter. Na última publicação, na noite de ontem, relatou uma noite de sono ruim, mas sem tosse, febre ou dor no corpo. Assim com Wajngarten, Karina Kufa, advogada de Bolsonaro, usa as redes sociais para falar do tema. Ontem, diz ter acordado disposta e feito pilates.

O deputado Daniel Freitas (PSL-SC) está em auto-isolamento desde o dia em que retornou dos Estados Unidos. Na sexta-feira, recebeu o resultado negativo, do primeiro exame, mas no mesmo dia começou a sentir sintomas de um leve resfriado: coriza, sensação térmica febril e leve falta de ar. Fez novo teste, que deu positivo. Anteontem, notou uma curiosidade:

— Não estou sentindo cheiro nenhum. Fiquei até meio desesperado com isso. Eu e os meus colegas também, da mesma forma. Fiz o teste do perfume e de fato não senti — comentou, dizendo que compartilhou o sintoma com outros integrantes da comitiva, em um grupo de WhatsApp. (Colaborou Thais Arbex)