Coronavírus: Novo decreto de Crivella começa a valer nesta terça; veja como ficam os serviços na cidade

Giselle Ouchana
Região da Saara já tem movimento fraco

O último decreto publicado pelo prefeito Marcelo Crivella, no domingo, determinou o fechamento obrigatório de parte do comércio a partir desta terça. Por isso, desde o primeiro minuto de hoje, apenas estabelecimentos essenciais permanecerão de portas abertas. A medida é uma tentativa de frear a propagação do coronavírus. O EXTRA reuniu aqui as principais mudanças. Veja abaixo:

Fica obrigatoriamente fechado em toda a cidade. As exceções são para os seguintes casos:

• Farmácias;

• Supermercados e hortifrutis (com recomendações para ampliar o serviço para 24 horas);

• Padarias (com a recomendação de que se evitem aglomerações);

• Pet Shops;

• Postos de gasolina (lojas de conveniência, porém, devem ficar fechadas);

• Lojas de equipamentos médicos e ortopédicos.

Já estavam fechados desde a última quarta-feira, após decreto do governador Wilson Witzel. No entanto, os restaurantes das praças de alimentação podem permanecer funcionando com sistema delivery. O funcionamento de farmácias e clínicas dos centros comerciais também estão autorizados.

– O serviço do BRT Transoeste está temporariamente suspenso aos sábados.

– Quatro linhas de BRT que param no Terminal Jardim Oceânico estão suspensas e duas novas que param no Terminal Alvorada, que tem maior capacidade para atender os passageiros, foram criadas.

A medida foi definida, de acordo com a Administração Municipal, devido ao grande número de passageiros que chegam do metrô ao Terminal Jardim Oceânico, gerando aglomeração no local.

As linhas Recreio Shopping x Jardim Oceânico, Madureira x Jardim Oceânico, Sulacap x Jardim Oceânico e Mato Alto x Jardim Oceânico ficam temporariamente suspensas. As novas linhas Madureira x Alvorada (expresso) e Mato Alto x Alvorada (parador) atenderão os usuários que precisarão se deslocar neste trecho.

– 15 veículos foram destinados para reforçar a operação do BRT Transoeste.

A entrada de ônibus intermunicipais e interestaduais no Rio continua suspensa, conforme decreto estadual. No entanto, uma resolução publicada ontem permite aos profissionais que atuam na área de saúde e aos que fornecem produtos, insumos e serviços necessários em unidades públicas ou privadas a utilização de aplicativos de transporte privado individual ou outras plataformas de transporte para o deslocamento entre a cidade do Rio e a Região Metropolitana.

Dessa forma, além da utilização de trem, metrô e barcas, que já estava autorizada mediante a apresentação de documento comprobatório, esses profissionais também poderão optar por esse outro meio de locomoção. A medida também vale para cuidadores, ou seja, aqueles que prestam serviços indispensáveis à saúde da pessoa que recebe os cuidados.

Será necessário fazer um cadastro específico junto aos provedores de transporte por aplicativo e portar, durante toda a viagem, documento idôneo que ateste o seu enquadramento. As instituições em que esses trabalhadores atuam também poderão realizar parceria específica junto aos aplicativos de transporte privado individual de passageiros.

Além do transporte individual por aplicativo e da utilização de todos os meios idôneos regulamentados, como motos e carros, para a garantia da continuidade de seus serviços, os empregadores poderão disponibilizar, ainda, meio de transporte para seus trabalhadores, colaboradores e profissionais, como vans e micro-ônibus. O motorista do veículo coletivo deverá portar, durante toda a viagem, documento idôneo que atestará sua condição.

Nesta segunda, o governador disse que vai rever métodos para evitar aglomerações nos acessos aos transportes públicos. O controle de acessos nas estações de trem, metrô e barcas provocou filas quilométricas no primeiro dia útil após a determinação.

Nas escolas da rede pública e particular,  as aulas estão suspensas. As universidades, o IFRJ e Cecierj também suspenderam.

Nesta segunda, o prefeito Marcelo Crivella voltou atrás e decidiu manter os bancos abertos. No entanto, o tempo máximo de atendimento será de 20 minutos. Além disso, clientes e funcionários deverão respeitar a distância de 2 metros entre

As feiras livres continuarão semanais para evitar aglomerações que poderiam existir se fossem quinzenais. Mas haverá um rodízio de funcionamento das barracas: as pares numa semana e a ímpares, em outra.

Desde esta segunda, a prefeitura do Rio começou uma espécie de faxina geral em regioes de grande movimento para tentar desinfectar locais públicos para evitar a propagação do novo coronavírus. Acessos a estações do metrô, trens, BRTs, pontos de ônibus e hospitais estaduais e municipais serão lavados com detergente.

Equipamentos culturais estão fechados. O acesso às praias também está proibido.