Coronavírus: novo protocolo determina que familiares recebam informações diárias sobre pacientes internados

Lucas Altino
Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha

RIO — Após reclamações sobre a dificuldade de familiares e amigos terem notícias de pacientes internados por Coronavírus, a Secretaria estadual de Saúde (SES) publicou uma nota técnica nesta sexta-feira determinando que seja garantido o contato médico telefônico diariamente com um familiar ou pessoa responsável. Agora, toda comunicação deve ser registrada no prontuário médico do paciente. Essa demanda havia motivado a redação de um projeto de lei na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) para a criação de uma "central de informações", e, no último dia 30, o secretário Edmar Santos havia respondido em reunião com parlamentares que elaboraria uma solução para isso.Segundo a nota técnica, fica "instituído às unidades estaduais de saúde: organizar processo para garantir informações às famílias sobre o paciente, com contato médico via telefônica, diariamente, durante todo o período de internação (enfermarias e UTIs)". A comunicação remota é uma necessidade porque, durante a pandemia, familiares estão impedidos de comparecer aos hospitais para visitas. A SES determinou, então, que um familiar ou pessoa responsável pelo paciente, seja cadastrado para receber os boletins médicos e replicar as informações entre o núcleo familiar.

Com o novo protocolo, todo contato telefônico deve ser registrado no prontuário do paciente. Foi instituído também que as unidades tenham o "censo atualizado das unidades de internação dos casos suspeitos ou confirmado para COVID-19 para orientar o processo". Além do contato telefônico entre o médico e familiares, outra recomendação é promover o apoio psicológico, possibilitando ao paciente receber videochamada, no caso de estiver lúcido, e "sempre que possível". Para isso, deve se utilizar um celular ou tablet fornecido pela unidade de saúde. A nota diz que o "aparelho deve ser higienizado com álcool 70% e utilizado em saco hermético de forma individualizada".

Projeto de lei

A dificuldade em se conseguir informação de internatos tem sido um dos grandes dramas dessa pandemia. Nas últimas semanas, foram relatados inclusive casos de familiares que só descobriram o óbito do paciente muitas horas depois. Por isso, está na pauta de votação da Alerj da próxima semana o Projeto de Lei nº 2357/2020, dos deputados estaduais Carlo Caiado (DEM), Delegado Carlos Augusto (PSD), Vandro Família (SDD) e Capitão Paulo Teixeira (REP), que cria uma central de informações para familiares durante a crise do Coronavírus. O projeto entrou na pauta essa semana, mas recebeu emendas e retornou às comissões.

No último dia 30, o deputado Caiado já havia questionado o secretário de Saúde, Edmar Santos, sobre a melhoria desse protocolo, durante reunião com os parlamentares. Na ocasião, o secretário disse que via com bons olhos a iniciativa e pretendia traçar uma estratégia, o que resultou na nota técnica desta sexta.

— A criação de uma central é urgente, porque são muitas reclamações que estamos recebendo sobre familiares sem contato com os pacientes — afirmou Caiado, na reunião.