Coronavírus: PMs farão triagem de passageiros de trens, barcas e metrô para limitar acesso ao Rio

Thaís Sousa

A Secretaria estadual de Transportes informou, nesta sexta-feira, que policiais militares farão controle de passageiros em 18 estações de trem, barcas e metrô, a partir de sábado. A triagem faz parte do conjunto de ações do governo estadual para limitar o acesso de pessoas à capital, que já contabiliza 66 casos de Covid-19. Poderão embarcar apenas profissionais de categorias consideradas "essenciais", como  saúde, segurança pública e serviços, como farmácias, mercados, jornalistas, transporte de cargas e logística, postos de gasolina.

A restrição de acesso ao Rio inclui também o fechamento de oito estações de trens da SuperVia e duas da CCR Barcas, a partir do primeiro minuto do sábado. Em todas as outras (14 de trem, 3 de metrô e na Arariboia, das barcas), o embarque será restrito e fiscalizado.

No Ramal Japeri, deixam de operar as estações Presidente Juscelino e Olinda; no Ramal Belford Roxo, Coelho da Rocha, Agostinho Porto e Vila Rosali também serão interditadas. E no Ramal Saracuruna, deixam de funcionar Jardim Primavera, Campos Elíseos e Corte 8. Já no sistema aquaviário, serão interrompidas as operações nas estações de Charitas (Niterói) e Cocotá (Ilha do Governador).

— Linhas municipais e intermunicipais terão adaptações nos roteiros e vão alimentar essas estações de transbordo e triagem — explica o secretário de Transportes Delmo Pinho.

Das estações de metrô, apenas Pavuna, Rubens Paiva e Acari, da linha 2, terão triagem da PM, já que estão próximas da Baixada Fluminense.

Em decreto publicado na noite da última quinta-feira, o Governo do Estado suspendeu, a partir da madrugada de sábado, a circulação de ônibus intermunicipais na capital. Os passageiros só poderão utilizar os transportes ferroviário e aquaviário para chegar ao Rio. Polícia Militar e Detro ficarão responsáveis pela fiscalização de coletivos, coibindo também o transporte irregular.