Coronavírus: Prefeitura do Rio anuncia compra de contêineres frigoríficos para hospitais

Agentes funerários retiram corpo no contêiner no Hospital Evandro Freire, na Ilha do Governador

RIO — Com uma marca de 1.841 mortos por Covid-19, a Prefeitura do Rio avalia comprar emergencialmente novos contêineres frigoríficos para dar suporte aos necrotérios de três unidades de saúde da cidade. O anúncio da cotação para a compra dos equipamentos foi publicado na edição desta segunda-feira (18) do Diário Oficial do município.

De acordo com a Secretaria municipal de Saúde, não há uma previsão imediata para a compra, apenas a preparação do processo administrativo caso haja necessidade. Os contêineres serão instalados no Hospital Ronaldo Gazolla, em Acari, na Coordenação de Emergência Regional (CER) Leblon e no Hospital Rocha Faria, em Campo Grande.

Oito hospitais da rede municipal já têm contêineres alugados em operação. Somente no Hospital Ronaldo Gazolla, referência da rede municipal para tratamento de coronavírus, e que recebe também corpos de outras unidades sem necrotério, são três equipamentos.

Os primeiros contêineres chegaram a unidades de saúde municipais no início de maio. Na época, um vídeo divulgado pela TV Globo mostrava cerca de 15 corpos em sacos plásticos e sobre macas fora das gavetas refrigeradas no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

Ainda segundo a secretaria de Saúde, a instalação dos frigoríficos visam "aumentar a capacidade dos necrotérios preventivamente", e dar suporte às demais unidades de saúde de suas regiões. Há cerca de um mês, o Hospital Regional Zilda Arns, em Volta Redonda, também recebeu uma estrutura do tipo para armazenar corpos de vítimas da doença.