Coronavírus: Prefeitura do Rio anuncia compra de contêineres frigoríficos para hospitais

Agentes funerários retiram corpo no contêiner no Hospital Evandro Freire, na Ilha do Governador

Com uma marca de 1.841 mortos por Covid-19, a Prefeitura do Rio avalia comprar emergencialmente novos contêineres frigoríficos para dar suporte aos necrotérios de três unidades de saúde da cidade. O anúncio da cotação para a compra dos equipamentos foi publicado na edição desta segunda-feira (18) do Diário Oficial do município.

De acordo com a Secretaria municipal de Saúde, não há uma previsão imediata para a compra, apenas a preparação do processo administrativo caso haja necessidade. Os contêineres serão instalados no Hospital Ronaldo Gazolla, em Acari, na Coordenação de Emergência Regional (CER) Leblon e no Hospital Rocha Faria, em Campo Grande.

Oito hospitais da rede municipal já têm contêineres alugados em operação. Somente no Hospital Ronaldo Gazolla, referência da rede municipal para tratamento de coronavírus, e que recebe também corpos de outras unidades sem necrotério, são três equipamentos. 

Os primeiros contêineres chegaram a unidades de saúde municipais no início de maio. Na época, um vídeo divulgado pela TV Globo mostrava cerca de 15 corpos em sacos plásticos e sobre macas fora das gavetas refrigeradas no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

Ainda segundo a secretaria de Saúde, a instalação dos frigoríficos visam "aumentar a capacidade dos necrotérios preventivamente", e dar suporte às demais unidades de saúde de suas regiões. Há cerca de um mês, o Hospital Regional Zilda Arns, em Volta Redonda, também recebeu uma estrutura do tipo para armazenar corpos de vítimas da doença.