Coronavírus: Rio tem manhã com aglomeração em estações de trem e metrô

Ana Carolina Torres, Diego Amorim e Marcos Nunes
EXT CI Rio de Janeiro ( RJ ) - 23032020 - Bloqueio da PM no metrô da Pavuna - Fila para entrar no Metrô - Foto Guilherme Pinto / Agência Globo

RIO - As medidas para tentar acabar com aglomerações nos transportes públicos do Rio a fim de conter a disseminação do coronavírus acabaram provocando o efeito contrário em alguns pontos. Na manhã desta segunda-feira, primeiro dia útil de isolamento da capital, filas se formaram em estações de trem e metrô.

Na Baixada Fluminense, centenas de pessoas recorreram à estação de Nova Iguaçu da SuperVia. Uma fila de cerca de 400 metros se formou para chegar à passarela onde era feita a triagem das pessoas que poderiam embarcar – apenas profissionais da saúde e os que prestam serviços considerados essenciais estão autorizados. As pessoas ficaram a uma pequena distância uma da outra.

O cenário se repetiu na Pavuna, na Zona Norte da capital. Antes das 6h30 centenas de pessoas esperavam para subir a passarela e entrar na estação – que é a terminal da Linha 2 do MetrôRio – onde saberiam se seriam ou não autorizadas a embarcar. A aglomeração no local só começou a diminuir após cerca de três horas.

Diante desse problema, o secretário estadual de Transportes admitiu que vai rever os métodos para evitar aglomerações. Em entrevista ao "Bom Dia Rio" desta segunda, Delmo Pinho disse que estão sendo providenciados sistemas de papa-fila e alto-falantes. Ele disse ainda que a restrição de acesso em algumas estações está sendo analisada e soluções estão sendo buscadas, uma vez que passageiros acabam recorrendo a outros pontos de embarque.