Coronavírus: saiba como fazer e como higienizar máscaras caseiras

Carolina Mazzi
1 / 4

87559234_PA-Brasilia-BSB-18-03-2020---Coletiva-do-Presidente-Jair-Bolsonaro-

O ministro Luiz Henrique Mandetta recomenda o uso de máscaras caseiras para que as cirúrgicas e as do tipo N95 sejam destinadas apenas aos profissionais de saúde

O ministério da Saúde lançou nesta quinta-feira, dia 2, dicas de como fazer em casa máscaras de proteção de pano e de como higienizá-las para que elas possam ser utilizadas novamente. É importante utilizar um tecido duplo para confeccionar a proteção, que só pode ser usada por, no máximo, duas horas. Se a máscara ficar úmida, ela deve ser imediatamente trocada, mesmo que você ainda não a tenha utilizado por duas horas. As máscaras devem ser utilizadas somente quando for inevitável ir à rua, já que a recomendação de respeitar a quarentena, para quem pode ficar em casa, continua valendo.

“Você pode fazer uma máscara ‘barreira’ usando um tecido grosso, com duas faces. Não precisa de especificações técnicas. Ela faz uma barreira tão boa quanto as outras máscaras. A diferença é que ela tem que ser lavada pelo próprio indivíduo para que se possa manter o autocuidado. Se ficar úmida, tem que ser trocada. Pode lavar com sabão ou água sanitária, deixando de molho por cerca de 20 minutos. E nunca compartilhar, porque o uso é individual”, alerta o ministro Luiz Henrique Mandetta, em texto postado no site oficial do Ministério da Saúde.

 

Depois de lavar com água e sabão ou água sanitária e deixar de molho, a máscara deve secar ao sol. Para completar a higienização, recomenda-se passar ferro quente na máscara antes de guardá-la.

O ministério está incentivando o uso de máscaras caseiras para que as cirúrgicas e as do tipo N95, já em falta no mercado, sejam destinadas apenas a quem trabalha diretamente na assistência aos doentes. Especialistas ouvidos pelo EXTRA também recomendam o uso quando for inevitável ir à rua. Eles apontam que as máscaras podem criar uma barreira para impedir a disseminação no ambiente de gotículas contaminadas, mas alertam que não se deve abandonar o isolamento social — para quem pode ficar em casa — nem os cuidados com a higiene, como lavar as mãos com água e sabão ou álcool gel frequentemente. E é fundamental saber como tirar e colocar a proteção porque o uso incorreto pode aumentar o risco de contágio em vez de impedir.

 

— A grande preocupação que surge é a de pessoas manipularem as máscaras de forma errada, o que pode aumentar a exposição ao vírus, em vez de diminuir. A orientação é nunca encostar as mãos na máscara, apenas no suporte da orelha. Lavar as mãos antes e depois de colocá-las. (O uso da máscara) É uma medida adicional, que vai ajudar a diminuir a circulação do vírus, mas não deve servir como um salvo-conduto para sair da quarentena ou não lavar as mãos — afirma Edmilson Migowski, infectologista da UFRJ.

 

A pneumologista Margareth Dalcolmo, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ressalta que a máscara é de uso individual:

— A máscara só deve ser usada por uma única pessoa, e ela precisa cobrir o nariz e a boca. É importante lembrar que as principais medidas continuam sendo o isolamento social e a higiene das mãos.