Coronavírus: San Francisco fornece metadona, álcool e maconha a viciados que fazem isolamento em hotéis

O Departamento de Saúde de San Francisco, na Califórnia (EUA), confirmou nesta quarta-feira que está fornecendo álcool, tabaco, maconha e outras substâncias a algumas pessoas em quarentena ou que fazem isolamento social em quartos de hotel alugados pela prefeitura, num esforço para impedir que elas saiam às ruas para obter as drogas.

De acordo com o "San Francisco Chronicle", os moradores dos hotéis também estão recebendo medicamentos como a metadona para diminuir o desejo por heroína. Tudo isso faz parte de uma política de "redução de danos" para ajudar os viciados a ficarem "em casa" e a conter a propagação do novo coronavírus.

Os quartos alugados pela prefeitura foram reservados a indivíduos que testaram positivo para a Covid-19 ou que correm um risco maior de contrair a doença porque não têm espaço próprio para se autoisolar com segurança. E algumas dessas pessoas têm problemas com abuso de substâncias ou já estão em tratamento com metadona.

 

 

 

 

"O departamento de saúde da cidade está fazendo o possível para ajudar essas pessoas durante o período de isolamento ou quarentena", disse Jenna Lane, porta-voz da entidade: "Eles estão prestando um ótimo serviço a São Francisco ficando dentro de casa. Estamos fazendo o possível para ajudá-las a ficar dentro de casa e não precisar sair e buscar essas coisas”.

Ainda segundo o jornal americnao, as autoridades também disponibilizam médicos e assistentes sociais para quem desejar iniciar nos hotéis um tratamento contra o vício, sob supervisão do departamento de saúde. "Nenhum dinheiro dos contribuintes está sendo usado para fornecer as substâncias aos hóspedes, apenas doações privadas", explicou Lane.

Existem cerca de 270 pessoas em quartos alugados pela prefeitura para períodos de isolamento ou quarentena, a maioria delas sem-teto. Outros quartos foram reservados para pessoas em situação de rua vulneráveis ​​que não precisam de isolamento ou quarentena por causa do coronavírus.