Coronavac para crianças: Anvisa entra na fase final de avaliação

·2 min de leitura
Anvisa entra na fase final de avaliação do uso da Coronavac para crianças (Foto: REUTERS/Ramzi Boudina)
Anvisa entra na fase final de avaliação do uso da Coronavac para crianças (Foto: REUTERS/Ramzi Boudina)
  • Anvisa entra na fase final de avaliação do uso da Coronavac para crianças

  • Entidade realizou nesta quinta mais uma reunião com o Instituto Butantan

  • Diversos especialistas também participaram do encontro

Mais uma reunião entre a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e os representantes do Instituto Butantan foi feita nesta quinta-feira (13) para discutir a possibilidade de aplicação da vacina Coronavac em crianças e adolescentes de 3 a 17 anos.

A Anvisa informou que a análise entrou na etapa final. Com isso, o relatório da área técnica será votado em reunião extraordinária da diretoria colegiada da entidade, mas a data desse encontro ainda não foi marcada.

Neste momento, apenas o imunizante da Pfizer recebeu aval da Anvisa para ser usado na faixa etária de 5 a 11 anos, mas a Agência já começou a avaliar o pedido feito para a Coronavac.

De acordo com a Anvisa, o encontro online e fechado reuniu especialistas da Anvisa, do Instituto Butantan, pesquisadores chilenos, técnicos do laboratório Sinovac China e representantes da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), da Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI) e da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco).

Os dados apresentados foram detalhados com base nas pesquisas feitas pelo governo chileno durante a aplicação do imunizante em crianças e adolescentes.

A partir da reunião desta quinta, os especialistas irão elaborar pareceres que serão enviados para a Anvisa e, então, os especialistas da Gerência Geral de Medicamentos da Agência darão continuidade à avaliação do pedido feito pelo Instituto Butantan. 

Conselhos pedem que vacinação de crianças ocorra de maneira "equânime" nos Estados

A entidade informou ainda que recebeu nesta quinta um documento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) sobre a vacinação de crianças nos Estados.

De acordo com a Anvisa, o comunicado pedia que fosse considerada "a necessidade de garantir que a vacinação contra Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos aconteça de forma equânime em todos os municípios do país, de acordo com suas particularidades".

"A Anvisa entende que podem existir assimetrias que demandem ajustes de determinadas recomendações, com o objetivo primordial de avançarmos na imunização desse público mantendo-se todos os cuidados necessários à inclusão dessa faixa etária na operacionalização da vacinação no Brasil. Nesse sentido, as recomendações são passíveis de ajustes por parte dos estados e municípios", completou a Agência.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos