Coronavirús: polícia de Israel prende centenas de judeus em tradicional festa religiosa

JERUSALÉM — A polícia israelense prendeu, na noite desta terça-feira, mais de 300 judeus ultraortodoxos que comemoravam, no norte de Israel, o Lag Baômer, uma data festiva no calendário judaico marcada por fogueiras e desfiles, por terem violado as medidas de restrições durante a pandemia do novo coronavírus. O governo do país havia proibido as tradicionais fogueiras e limitou o número de participantes a 150, de acordo com reportagem do jornal espanhol El País.

"Havia centenas de homens, mulheres e crianças no Monte Meron violando as determinações do estado de emergência", afirmou a polícia em um comunicado. Segundo a corporação, os agentes precisaram pedir reforços para dissolver a grande quantidade de religiosos, que não usavam nem máscaras nem luvas. De acordo com o jornal espanhol, pedras e outros objetos foram arremessados durante a ação.

Na noite anterior também houve concentrações de judeus ultraortodoxos nas ruas, como no bairro Mea Shearim, em Jerusalém ou em Beit Shemesh, a 40 quilômetros da capital. Atualmente, as autoridades do país só autorizam reuniões de, no máximo, 50 pessoas, e sempre mantendo uma distância segura.

Segundo o El País, cerca de 75% dos mais de 16.500 infectados pela Covid-19 no país pertencem à comunidade ultraortodoxa, que representa pouco mais de 10% de Israel. O governo precisou fechar as entradas de diversas cidades nos arredores de Tel Aviv, e precisou aplicar essas medidas a bairros religiosos em Jerusalém. Nesta terça-feira, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu criticou a violação das medidas de restrição.

Os Haredis, como são chamados os judeus ultraortodoxos, ficaram marcados como responsáveis por espalhar o vírus para o resto da população por terem ignorado as medidas de confinamento.

O ministro da Saúde do país, o ultraortodoxo Yaacov Litzman, que lidera o Judaísmo Unido da Torá — uma aliança de dois partidos políticos ultraortodoxos em Israel —, também se tornou alvo de críticas por ter sido infectado pela Covid-19 após participar de uma oração em uma sinagoga lotada.

Nosso objetivo é criar um local seguro e atraente para os usuários se conectarem a interesses e paixões. Para melhorar a experiência de nossa comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários dos artigos.