Coronavírus: Bruno Covas diz que prefeitura mandará fechar lojas em SP

Medida, segundo Covas, começará a partir desta sexta-feira. (Foto: Reprodução/TV Globo)

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou que assinou, nesta quarta-feira (18), um decreto determinando o fechamento do comércio no município de São Paulo para tentar conter o avanço da pandemia do novo coronavírus. A cidade registrou, até agora, três mortes confirmadas por Covid-19 no País.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

A medida começará a valer, segundo ele, a partir de sexta-feira (20) e segue até o dia 5 de abril. Segundo o prefeito, a restrição será apenas aos atendimentos presenciais. As lojas continuarão, segundo Bruno Covas, vendendo produtos através do telefone ou das vendas online.

Leia também:

"As lojas poderão continuar a funcionar para balanços, entregas delivery, inventário, pequenas reformas. Mas atendimento presencial fica proibido a partir de sexta-feira", disse o prefeito de São Paulo.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Permanecerão funcionando na capital paulista os estabelecimentos como hipermercados e supermercados; padarias; farmácias; postos de gasolina; lojas de conveniência; restaurantes e lanchonetes; lojas de produtos para animais; e feiras livres.

Os estabelecimentos como restaurantes e lanchonetes, no entanto, terão que obedecer a distância mínima de um metro entre as mesas, além de intensificarem as ações de limpeza e disponibilizarem álcool gel aos clientes e informações sobre a Covid-19.

QUATRO MORTES REGISTRADAS EM SP

A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo confirmou, nesta quarta-feira (18), uma quarta morte em decorrência do novo coronavírus. O estado contabiliza agora todas as quatro mortes pela Covid-19 já registradas no Brasil, sendo que três óbitos foram confirmados nesta quarta.

Os três pacientes tiveram a morte confirmada pela Secretaria de Saúde por Covid-19 são homens, com comorbidades e com idades de 65, 81 e 85 anos. Todos foram atendidos em hospitais privado da Capital. O paciente de 81 anos é morador do município de Jundiaí e os demais de São Paulo.

primeiro óbito do Estado foi confirmado ontem (17), referente a um homem de 62 anos, com doenças crônicas, sem histórico de viagem, que faleceu dia 16, após ter ficado internado desde o dia 14 na UTI de um serviço privado.

O estado de São Paulo também registra 240 casos confirmados, sendo 214 na cidade de São Paulo, 6 em São Caetano do Sul, 6 em Santo André e 3 em São Bernardo do Campo.

As cidades a seguir também registram 1 caso em cada uma delas: Osasco, Ferraz de Vasconcelos, Cotia, Barueri, Guarulhos, Mauá, Santana do Parnaíba, São José dos Campos, Campinas, São José do Rio Preto e Jaguariúna. As quatro últimas são os primeiros registros de casos confirmados no interior de SP.

O Estado de SP também registra 5.334 suspeitos. A equipe do Centro de Vigilância Epidemiológica está trabalhando na contabilização de casos descartados.

CASOS

Os casos nacionais foram atualizados para 291, segundo o Ministério da Saúde, em coletiva feita na tarde de terça (17). A coletiva marcada para esta quarta-feira, às 16h, foi cancelada devido à coletiva realizada pelo presidente Jair Bolsonaro e, portanto, não houve atualização de casos.

Os estados que concentram mais casos são São Paulo, com 164 confirmações, e Rio de Janeiro, com 33 infectados confirmados pela Covid-19. Os dois estados também são os únicos a registrar transmissão comunitária - que ocorre quando não é mais possível saber a origem da infecção.

Enquanto isso, o número de casos suspeitos avançou para 8.819, crescimento de 6.755 na comparação com a véspera, diante de uma alteração na forma de checagem pelo ministério, que adotou uma classificação automatizada. Mais de 5.000 das suspeitas estão em São Paulo.

Além dos casos confirmados, o Ministério da Saúde contabilizava na terça-feira:

  • 8.819 casos suspeitos

  • 1.890 casos descartados

  • 28 pessoas estão hospitalizadas (10% do total)