Festa de R$ 300 mil e casal separado: coronavírus impede casamentos dos sonhos

Os empresários João Eduardo e Thais Bianchi cancelaram o casamento por causa do coronavírus (Foto: Acervo Pessoal)

O novo coronavírus mudou a rotina dos brasileiros e do restante do mundo. Para evitar o avanço da doença, recomenda-se que todos fiquem em casa e evitem aglomerações. Por isso, o comércio na maior cidade do país fechou, shows foram adiados e até a produção de novelas, séries e filmes está paralisada. Os sonhos de muitos “pombinhos” também foram prejudicados pela covid-19: casamentos são cancelados ou ganham novas datas às vésperas da comemoração, frustrando os planos dos noivos.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário

Apesar de se tratar de uma causa coletiva, o prejuízo dessas pessoas é financeiro e emocional. Casais como João Eduardo e Thais Bianchi, de São Paulo, lidam com o estresse (e a dor de estômago) de ver uma festa que foi organizada ao longo de um ano ir por água abaixo. A advogada Laura Pimentel, que diria “sim” em Cancún, no México, se preocupa com seus 84 convidados, mas lamenta o adiamento da comemoração para dezembro.

Leia também

Já os cariocas Carlos Pessanha e Fernanda Santoro se consideram sortudos por já terem curtido a lua de mel no Ceará em janeiro. Porém o adiamento da festa e das obras de um apartamento comprometeram a vida a dois.

Conheça a história de três casamentos que foram prejudicados pelo coronavírus:

“Quem pagou o pato de uma pandemia fomos nós”

Thais Bianchi e João Eduardo Dmitruk Veiga: casal diria "sim" na Hípica Paulista nesta sexta-feira (20) (Foto: Acervo Pessoal)

O casamento dos empresários João Eduardo Dmitruk Veiga, de 31 anos, e Thais Bianchi, 26, seria “a cara” deles, bem divertido. Eles iam comemorar a união com uma festança para 200 pessoas na Sociedade Hípica Paulista nesta sexta-feira (20) com direito à celebração do humorista Maurício Meirelles, apresentação do DJ Kasino (que é meme nas redes sociais) e uma garrafa de champanhe para cada convidado. “Vou ter que beber, não posso guardar”, brinca o noivo que ri para não chorar com o casório que foi cancelado. Os “pombinhos” também contrataram animadores anões para entreter os familiares e amigos.

Veiga conta que passou um ano planejando a festa com a amada e que desembolsaram por volta de R$ 300 mil para realizar o sonho de dizer “sim” no clube do qual sempre foi sócio. Thais sente a dor do transtorno no bolso e no corpo: ela está sofrendo de gastrite nervosa depois de investir 12 meses de salário nessa “brincadeira séria”. O casal pagou tudo antecipadamente e, hoje, tenta o reembolso com os fornecedores. “Quero reaver o dinheiro. Quando acaba a pandemia? Eu não sei. Prefiro ter o dinheiro na minha conta porque está tudo muito imprevisível e não queremos sofrer mais”, diz o empresário.

Mesmo com a crise da covid-19, a ideia não era cancelar o casamento. Foi a Hípica Paulista que informou o casal na última quarta-feira (18) de que não seria possível realizar a festa neste momento. “Estávamos na linha de chegada, mas entendo perfeitamente a decisão, é o correto a se fazer. É um momento de humanidade, mas quem pagou o pato de uma pandemia fomos nós”, declara Veiga. A instituição vai devolver o dinheiro do aluguel do espaço para João Eduardo e Thais.

João Eduardo e Thais Bianchi (ao centro) com amigos e família na última quarta-feira (18) durante o casamento civil (Foto: Acervo Pessoal)

O novo coronavírus não os impediu de casar no civil na última quarta-feira (18). Eles levaram os profissionais de um cartório para um restaurante na zona sul de São Paulo e, durante um almoço, se declararam marido e mulher perante os amigos e familiares.

“O que é o meu casamento perto do que está acontecendo?”

Cancún seria o cenário da união de Laura Pimentel, 25 anos, e do empresário Rodrigo Wiazovski, 26. O casal de Santos, no litoral de São Paulo, estava pronto para levar 84 pessoas para o paraíso mexicano daqui um mês, mas o coronavírus adiou o sonho do casamento no exterior. “Estava tudo certo: abril é quando menos chove lá, o calor não é tão insuportável e ainda é feriado aqui no Brasil. Estávamos planejando há mais de um ano a festa que seria no dia 21, mas achamos prudente adiar”, explica a jovem.

Laura foi pedida em casamento durante viagem à Orlando, nos EUA, em janeiro de 2019 (Foto: Reprodução/Instagram @lauravpimentel)

A noiva conta que necessidade de mudar a data do casamento, que provavelmente será reagendado para o fim de 2020, foi como um banho de água fria: ela não esperava e chorou “tudo o que podia e o que não podia” quando tomaram a decisão. “Organizar um evento fora do país não é nada fácil. É demorado, dá trabalho e acaba sendo caro por causa do dólar, mas o prejuízo é emocional”, diz. Enquanto isso, o noivo, no meio de todo o estresse, fica chateado por ver a amada triste.

Laura garante que não perdeu tanto dinheiro pois os fornecedores só seriam pagos quando o casal chegasse no México. Convites e lembrancinhas com a data da cerimônia terão serão refeitos. Tudo ok com o fotógrafo e a banda também - todos estarão no casório em dezembro. A companhia aérea reembolsou as passagens. Entretanto, sua preocupação é com a família e os amigos. “Às vezes eles não podem ir em outra época, não podem gastar mais... Não dá para pensar só em mim”, declara.

A advogada Laura Pimentel e o empresário Rodrigo Wiazovski vão se casar em Cancún, no México (Foto: Reprodução/Instagram @lauravpimentel)

Ela, inclusive, julga esse sofrimento como “egoísta”. “O que é o meu casamento perto do que está acontecendo? É uma questão coletiva e nunca colocaria os convidados em risco. Tenho que agradecer pela minha saúde e pela oportunidade de poder remarcar a festa”, diz a advogada. Além do casamento em Cancún, uma cerimônia civil para 100 pessoas que aconteceria no dia 4 de abril também foi cancelada. Agora, a ideia é pensar positivo e focar na lua de mel que será na Jamaica. “Vou juntar mais dinheiro, deixar o cabelo crescer e pegar firme na academia”, brinca Laura.

“O sonho da vida conjunta foi adiado”

Carlos Pessanha e Fernanda Santoro adiaram o casamento para maio (Foto: Oziel Cruz)

29 de março de 2020 marca os 10 anos de namoro dos cariocas Carlos Pessanha, 33 anos, e Fernanda Santoro, 31. Eles planejaram o casamento para esse mesmo dia, que também é o aniversário do noivo. A data com tantos significados, infelizmente, não terá mais festa. Uma cerimônia civil que aconteceria em uma churrascaria famosa no Rio de Janeiro foi adiada para maio por causa da covid-19. “Mas ainda não sabemos se realmente vai acontecer”, diz o engenheiro.

“Foi uma decisão nossa e que amadureceu no último fim de semana. Vimos os noticiários e ficamos preocupados com a saúde dos convidados. E também não teria como fazer a festa, os fornecedores não estão trabalhando”, conta Pessanha. Apesar das incertezas, ele quer fazer a comemoração acontecer e não importa que seja só daqui alguns meses. “Minha noiva está chateada, claro. Ela tem esse sonho e eu quero realizar o sonho dela. Se tiver que adiar mais uma vez, tudo bem, porém vamos fazer”, garante.

O plano de morar juntos também ficou mais para frente: o novo apartamento de Carlos e Fernanda estava em obras, mas o trabalho está paralisado. “O sonho da vida conjunta foi adiado”, lamenta Pessanha. A distância por causa do coronavírus, no entanto, acabou se tornando uma questão maior do que a festa. “Estou isolado na casa dos meus pais e ela na casa dos pais dela. Estamos nos falando por telefone e talvez vamos nos encontrar no fim de semana. O momento, na verdade, é de aproximação e nada vai mudar o que sinto por ela”, finaliza.

Carlos e Fernanda na lua de mel em Jericoacoara, no Ceará (Foto: Acervo Pessoal)