Coronavírus: David Uip é isolado em casa após suspeita de Covid-19

Infectologista está isolado em casa após apresentar sintomas similares. (Foto: Governo do Estado de São Paulo)

Chefe do centro de contingência contra o coronavírus no governo de São Paulo, o infectologista David Uip está isolado em casa após apresentar sintomas compatíveis com infecção pelo novo coronavírus. Ele foi encaminhado ao Hospital Sírio-Libanês, na manhã nesta segunda-feira (23), onde realizou exames.

O infectologista teria apresentado febre de 37,2º C e tosse, segundo informações da jornalista Mônica Bergamo, publicadas em sua coluna no jornal Folha de São Paulo. Ainda não há a confirmação de que ele esteja com o coronavírus.

Leia também

Ele aguardará o resultado em isolamento, em sua casa, no bairro do Morumbi, zona oeste de São Paulo.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

“Pelo cargo que ocupo, pela exposição que tenho a pacientes, eu resolvi ir ao Hospital Sírio Libanês fazer exames. Colhi o material, e vim para minha casa, onde estou quietinho, isolado, aguardando o resultado. Estou muito bem, sinto ainda um pouco de febre e de vez em quando tusso um pouquinho. Pode ser o coronavírus como pode ser qualquer outro vírus. Por precaução, em cima daquilo que estamos falando, eu estou isolado e, se o exame for positivo, manterei a quarentena como qualquer outra pessoa. Se for negativo e estiver bem, amanhã voltarei ao trabalho”, explicou Uip, em uma mensagem por vídeo.

O anúncio da suspeita e da realização dos exames foi feita também pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), durante a coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes. “Diante do resultado, poderemos nos manifestar de forma mais clara e objetiva”, afirmou o governador.

O estado de São Paulo concentra 631 casos confirmados da Covid-19, além de 22 óbitos registrados e 61 pacientes com casos confirmados internados em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva).

“Estamos dentro do observado nos demais países, tanto nos óbitos quanto nas hospitalizações”, explicou o secretário de Saúde de São Paulo, José Henrique Germann. Ao todo, são 1.561 casos confirmados no Brasil, segundo o Ministério da Saúde.