Coronavírus: Doria anuncia plano para reabrir comércio em São Paulo

João Conrado Kneipp
·3 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - APRIL 17: A man runs at Paulista avenue wearing a protective mask amidst the Coronavirus (COVID - 19) pandemic on April 17, 2020 in Sao Paulo, Brazil. According to the Ministry  of health, Brazil has 33,682 confirmed cases infected with coronavirus (COVID-19) and at least 2,141 recorded deceases.(Photo by Rodrigo Paiva/Getty Images)
Reabertura do comércio será feita de forma regional e gradual, segundo Doria. (Foto: Rodrigo Paiva/Getty Images)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou a criação do Plano São Paulo para reabertura gradual de áreas do comércio no estado de São Paulo a partir do dia 11 de maio. A flexibilização das medidas restritivas da quarentena será feitas em etapas, levando em conta a situação de cada região do estado diante da pandemia do novo coronavírus.

“A partir do dia 11 de maio, quando finaliza nossa quarentena decretada, faremos a reabertura gradual, heterogênea e segura da economia de São Paulo. Aqui em São Paulo, nem a economia se sobrepõe à medicina, à saúde e à ciência. Vamos levar em consideração as situações locais e regionais para determinar quais setores podem retornar à normalidade com as devidas medidas de proteção”, anunciou o tucano, durante a coletiva de imprensa nesta quarta-feira (22), no Palácio dos Bandeirantes.

Leia também

A implementação dessa reabertura será em fases, regionalizada e setorial. “De forma nenhuma esse movimento será desordenado, com flexibilização aleatória e desrespeitando a ciência”, afirmou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

CRITÉRIOS

Cada região do estado de São Paulo será classificado em três níveis de risco: zona vermelha, zona amarela e zona verde.

As cores serão definidas de acordo com o número de novos casos de Covid-19; de acordo com a quantidade de leitos de UTIs livres; e de acordo com o número de testes disponíveis para aquela determinada região.

Antes de serem reabertos, cada setor econômico também terá protocolos de higiene e segurança que serão definidos pelo governo.

“Trabalharemos em conjunto para que as regiões sejam definidas por níveis de risco. Teremos três níveis de risco: zona vermelha, amarela e verde. Lembrando que hoje todas as nossas regiões estão entre vermelha e amarela, uma vez que para estar na zona verde precisamos alcançar um baixo número de casos, baixa ocupação dos leitos de UTI e testes disponíveis, além de ter protocolos setoriais implementados”, detalhou a secretária do Desenvolvimento Econômico.

A definição e classificação da cor de cada município será feito nos próximos dias e em conjunto com a secretaria de Saúde. As classificações, no entanto, não serão fixas e poderão ser revisadas de acordo com a situação de cada região. Um município classificado inicialmente como zona verde pode, se apresentar um aumento no número de casos, ser reclassificado para zona amarela.

O governador fez questão de listar todas as áreas da economia que se mantiveram abertas durante a quarentena. “São Paulo não parou. Ao todo, praticamente 74% da economia paulista funciona desde o primeiro dia da quarentena”, afirmou Doria.

QUARENTENA SEGUE

Até 10 de maio, no entanto, estão mantidas todas as medidas restritivas determinadas pelo governo do estado. “Até lá, não haverá mudanças ou alterações na quarentena em todo estado de SP. A obediência deverá ser feita rigorosamente”, salientou. “Não estamos anunciando que a partir do 11 de maio não teremos nenhuma quarentena”, complementou o governador.

Até esta quarta (22), São Paulo registrava 1.037 mortes pelo novo coronavírus e mais de 14 mil casos confirmados.

A quarentena teve início no dia 24 de março nos 645 municípios do estado. Inicialmente, o término da quarentena estava previsto para o dia 22 de abril, mas foi prorrogado até o dia 10 de maio. A medida obriga o fechamento do comércio e mantém apenas os serviços essenciais, como nas áreas de Saúde e Segurança.