Embaixada da China rebate Eduardo Bolsonaro: 'Contraiu vírus mental'; Maia pede desculpas

·3 minuto de leitura
Foto: REUTERS/Adriano Machado
Foto: REUTERS/Adriano Machado

Em meio à crise provocada pela epidemia de coronavírus, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, abriu mais uma frente de batalha para o governo, desta vez com a China, maior parceiro comercial brasileiro, ao acusar o governo chinês de ser o responsável pela pandemia ao esconder informações.

Eduardo, que é presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara e chegou a ser indicado pelo pai para ser embaixador dos Estados Unidos na Câmara, retuitou um grupo de tuítes que apontava a responsabilidade do governo chinês na expansão da epidemia, e comentou:

Leia também:

"Mais uma vez uma ditadura preferiu esconder algo grave a expor, tendo desgaste, mas que salvaria inúmeras vidas. A culpa é da China e liberdade seria a solução."

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A resposta da embaixada chinesa foi imediata e dura. Em sua conta pessoal, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, afirmou que Eduardo é uma "pessoa sem visão internacional nem senso comum, sem conhecer a China e o mundo". "Aconselhamos que não corra para ser o porta-voz dos EUA no Brasil ou vai tropeçar feio", escreveu o embaixador.

Wanming marcou em seus posts a Câmara dos Deputados, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Em um segundo texto, exige que Eduardo "retire imediatamente" suas palavras e peça desculpas ao povo chinês, além de avisar que irá protestar junto ao Itamaraty.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

"Além disso, vão ferir a relação amistosa China-Brasil. Precisa assumir todas as suas consequências", completou o embaixador chinês.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Já no seu Twitter oficial, a embaixada chinesa diz que as palavras do deputado são irresponsáveis e uma imitação de "seus queridos amigos". "Ao voltar de Miami contraiu, infelizmente, vírus mental, que está infectando a amizade entre nossos povos."

Diante da repercussão negativa, Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados pediu desculpas pela fala do deputado federal.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O Itamaraty não se manifestou.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

***Com informações da Reuters

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos